Tamanho do texto

Desenvolvimento do cérebro depende da flora bacteriana intestinal; estudo afirma que parto normal é melhor para a criança, já que ela terá mais contato com bactérias da mãe

O bem-estar psicológico é favorecido pela saúde do intestino. A funcionalidade e o desenvolvimento do cérebro, seja durante a vida fetal, seja depois, depende de uma boa composição da flora bacteriana no intestino. Quem afirma é um estudo apresentado no congresso da Sociedade Italiana de Psiquiatria. A "psicobiótica" estuda a interação entre microorganismos intestinais e os problemas mentais. As informações são da Ansa.

Flora intestinal pode auxiliar bem-estar da mente
Getty Images
Flora intestinal pode auxiliar bem-estar da mente


De acordo com o estudo, a interação entre a microbiota e a mente aconteceria porque as bactérias presentes no intestino, produzindo muito DNA, sintetizariam moléculas que, por um complexo mecanismo de mediação imunológico, hormonal e neural, modulariam o desenvolvimento do cérebro, seja na fase fetal, seja em outra fase da vida.

Autismo

A novidade do estudo é o esclarecimento de como consiste esse mecanismo e como correlacionou ao autismo em crianças.  

"Abrem-se possibilidades interessantes. Falamos de fato de poder tratar, em um futuro próximo, os distúrbios cerebrais e mentais por meio da modificação da flora bacteriana intestinal", disse à Ansa Giovanni Biggio, professor de Farmacologia da Universidade de Cagliari, na Itália.

"Se pode especular, por exemplo, o uso de probióticos direcionados para uma função antidepressiva".

Parto normal pode evitar problemas psicológicos
Thinkstock/Getty Images
Parto normal pode evitar problemas psicológicos


Parto normal ajuda

O médico disse que o estudo ainda traz indicações para prevenir muitos problemas nervosos e mentais.

"Se pensa que, no nascimento, a microbiota intestinal do recém-nascido é estabelecida pela flora do canal vaginal da mãe, com qual ele teve contato no parto. A atenção com o equilíbrio dessa flora deve ser especial porque, se está alterada, a da criança também estará alterada, podendo ter consequências para o cérebro e psique". Segundo o médico, essa é mais uma razão para afirmar que o parto natural é melhor do que a cesariana, em que esse tipo de contato não existe.

As consequências ainda serão estudadas. "Essa descoberta prova que é preciso estar atento aos antibióticos em altas doses e administrações prolongadas: destruindo a flora é possível provocar distúrbios até mesmo cerebrais e psíquicos". 

Leia mais sobre saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.