Tamanho do texto

Alimentos submetidos à temperaturas maiores que 120ºC sofrem reações químicas que liberam acrilamida, substância cancerígena

Um relatório do Reino Unido, publicado nesta semana pela Agência de Normas Alimentares (FSA) alerta para o potencial cancerígeno da batata frita e das torradas. O alerta, que já havia sido feito pelo iG , mostra que o problema está na reação química que acontece quando esses alimentos são aquecidos a altas temperaturas, acima de 120ºC.

A batata, quando frita, sofre uma reação química que libera a acrilamida, substância que é cancerígena
Thinkstock/Getty Images
A batata, quando frita, sofre uma reação química que libera a acrilamida, substância que é cancerígena

O aminoácido asparagina reage com a glicose (ou frutose) e libera a acrilamida, substância já conhecida por causar câncer em ratos. Além das torradas e batata frita, a beterraba, os pães e os cereais costumam conter esses três ingredientes, mas, como não é hábito o consumo desses últimos alimentos submetidos à altas temperaturas (acima de 120ºC), a reação química não acontece e o risco de acúmulo de acrilamida não existe.

A acrilamida é maléfica porque, segundo um estudo publicado no Journal of the National Cancer Institute, ela pode conduzir à mutações no DNA, que, por sua vez, podem causar câncer. 

Câncer de ovário e endométrio em mulheres

Um estudo publicado no periódico Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention acompanhou 62 mil mulheres ao longo de 11 anos e descobriu que aquelas que consumiam acrilamida na dieta (por meio desses alimentos aquecidos a mais de 120ºC), tinham mais chance de desenvolver câncer de endométrio e ovário depois da menopausa em relação àquelas em que a acrilamida não fazia parte do dia a dia. 

Leia mais sobre saúde

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.