Tamanho do texto

O britânico Oli Cooney teve dois ataques cardíacos e três AVCs até falecer aos 20 anos devido a uso de anabolizantes

O britânico Oli Cooney começou a frequentar a academia quando ainda era adolescente e rapidamente desenvolveu uma obsessão pela busca do corpo perfeito, o que o levou a consumir anabolizantes perigosos. Ele deixou os amigos de lado, esqueceu os passeios aos finais de semana e passou a se decidar apenas ao exercícios físicos. A busca sem freio por músculos e pelo que julgava ser o corpo ideal o levou a consumir anabolizantes. O jovem morreu aos 20 anos e mãe de Oli relembra sua história. 

Oli dedicava todo o seu tempo aos exercícios e à busca do corpo perfeito
Reprodução
Oli dedicava todo o seu tempo aos exercícios e à busca do corpo perfeito

"Eu não via isso como problema até a primeira vez que ele foi parar no hospital. Eu pensava que era melhor ele ir para a academia e cuidar do físico, pelo menos ele não ia sair todo final de semana e ficar bêbado com os amigos.", conta Sarah Cooney, mãe de Oli ao documentário da BBC3, "Extreme UK: Dying For A Six Pack". A história foi reproduzida pelo jornal britânico "Daily Mail". 

Oli teve dois ataques cardíacos e três AVCs causados pelo mal uso de anabolizantes
Reprodução
Oli teve dois ataques cardíacos e três AVCs causados pelo mal uso de anabolizantes


O uso de anabolizantes pesados, considerados drogas da classe C, durante muito tempo acabou fazendo com que Oli tivesse uma parada cardíaca. Orientado pelos médicos a parar de usar as drogas, ele obedeceu, mas os danos causados ao coração eram irreversíveis. Ele logo voltou a academia, continou na busca pelo que achava serem os músculos perfeitos e teve três AVCs e uma segunda parada cardíaca, aos 20 anos, e não resistiu. Ele morreu em setembro de 2013. 

"A certidão de óbito dele diz que a morte foi causada pelo uso indevido de drogas da classe C. Nunca pensei que meu filho teria algo relacionado à drogas e muito menos ter uma certidão de óbito dele. Não acredito que ele fez isso com ele mesmo e com a gente, essa não era a intenção. Ele tinha uma doença, todos o chamavam de 'pequeno Ol' e ele não queria ser o 'pequeno Ol'.", explica Sarah. 

Sarah e os avós de Oli
Reprodução/ rossparry.co.uk
Sarah e os avós de Oli


 Segundo a mãe, Oli dizia para a família que era invencível. Os médicos alertaram para que a família não se culpasse. Ele tinha essa fraqueza e a obsessão pelo era uma maneira de se mostrar confiante para a sociedade, de acordo com os médicos. 

Sarah decidiu compartilhar a história do filho como um aviso a outros jovens que tomam drogas ou anabolizantes. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.