Tamanho do texto

Você sabe o que é o câncer colorretal? Um dos tipos de tumores mais comuns entre homens e mulheres, doença pode ser silenciosa e requer atenção; leia

Câncer colorretal é o segundo tipo de câncer que mais acomete mulheres e o terceiro que mais atinge homens
shutterstock
Câncer colorretal é o segundo tipo de câncer que mais acomete mulheres e o terceiro que mais atinge homens

Entre as mulheres, é o segundo tipo de câncer mais comum no Brasil e quando se trata de homens, a incidência fica em terceiro lugar, de acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Ainda que pouco conhecido, o câncer colorretal é uma doença com alta incidência e pouco conhecida pela população.

Leia também: Aspirina diminui incidência de câncer colorretal em pessoas com risco genético

Contudo, de acordo com o chefe-substituto da Seção de Cirurgia Abdomino-Pélvica do Inca, Rodrigo Araújo, o câncer colorretal é uma doença facilmente curável quando descoberta no início. “Se diagnosticada nos estágios iniciais, a chance de cura da doença é de 90%”, disse.

Também conhecido como o câncer do cólon ou do reto, os tumores podem aparecer na extremidade inferior do trato digestivo. Por não apresentar sintomas muito claros, a doença pode ser detectada por meio de exames de sangue e endoscopias.

Segundo o Inca, a maioria desses tumores se inicia a partir de pólipos, lesões benignas que podem crescer na parede interna do intestino grosso. Uma das formas de prevenir o aparecimento do câncer é a detecção e a remoção desses pólipos antes de eles se tornarem malignos.

A principal recomendação do cirurgião oncológico como forma de prevenção à doença é a adoção de hábitos saudáveis, com uma dieta rica em fibras, composta de frutas, verduras e legumes, além da prática de atividade física regular. “É importante evitar o alto consumo de carne vermelha e processada e de bebidas alcoólicas”, afirmou.

Leia também: Entenda por que fazer o Papanicolau pode evitar o câncer do colo do útero

Quem pode ter câncer colorretal?

No câncer colorretal os tumores podem aparecer na extremidade inferior do trato digestivo
shutterstock
No câncer colorretal os tumores podem aparecer na extremidade inferior do trato digestivo

Apesar de não se saber exatamente quais são as causas do câncer, alguns fatores aumentam o risco de desenvolvimento da doença, como idade acima de 50 anos, história familiar de câncer colorretal e história pessoal da doença, como o fato de já ter tido câncer de ovário, útero ou mama, por exemplo.

No entanto, é possível que uma pessoa que não apresente nenhuma predisposição também desenvolva a doença. “Temos visto a incidência crescente desse câncer em pessoas com menos de 50 anos, o que preocupa”, disse Araújo, ao acrescentar que a obesidade e a inatividade física são fatores que aumentam a predisposição ao tumor.

Ao perceber algum sinal da doença, o médico pode pedir que o paciente realize dois exames principais que podem ajudar a detectar a condição: pesquisa de sangue oculto nas fezes e colonoscopia ou retossigmoidoscopias. Esses procedimentos devem ser realizados em pessoas com sintomas sugestivos de câncer colorretal ou naquelas sem sinais, mas pertencentes a grupos de maior risco.

A recomendação para os descendentes diretos de pessoas que tiveram câncer de intestino é que comecem a fazer a colonoscopia dez anos mais jovem do que a idade que o parente teve o diagnóstico.

Entre os sinais de alerta estão a mudança no hábito intestinal, com histórico de diarreia ou prisão de ventre, desconforto abdominal com gases ou cólicas, sangramento nas fezes, sangramento anal e sensação de que o intestino não se esvaziou após a evacuação.

Incluindo casos de câncer colorretal , o Inca estima que cerca de 600 mil novas notificações de câncer serão registradas  no Brasil este ano. Com exceção do câncer de pele não melanoma, os tipos de câncer mais frequentes serão os de próstata (68.220 casos novos), em homens, e de mama (59,7 mil), em mulheres. Menos divulgado, o câncer colorretal ou do intestino grosso vem em seguida com 36.360 novos casos em 2018, dos quais 17.380, em homens, e 18.980, em mulheres.

Leia também: Mulher que era jovem demais para fazer teste supera câncer e faz alerta

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.