Tamanho do texto

A síndrome dá a sensação de que seu olho está coberto por areia e pode desencadear outras doenças, como a úlcera de córnea e até a perda de visão

A síndrome do olho seco dá a sensação de que seu olho está coberto por areia e, se não tratada, pode causar até cegueira
shutterstock
A síndrome do olho seco dá a sensação de que seu olho está coberto por areia e, se não tratada, pode causar até cegueira

Irritação, coceira e sensação de areia nos olhos. Estes sintomas podem indicar que você está com a síndrome do olho seco. A doença, que atinge cerca de 180 milhões de pessoas no mundo, pode estar ligado ao uso incorreto de aparelhos tecnológicos e mudanças nas condições climáticas.

Leia também: Conheça as doenças que afetam os olhos no inverno e saiba como se proteger

A síndrome do olho seco  é uma doença crônica multifatorial da superfície ocular caracterizada pela diminuição da produção de lágrima ou deficiência em alguns de seus componentes com desequilíbrio do filme lacrimal.

O filme lacrimal, responsável pela lubrificação dos olhos , é composto por três camadas: a aquosa, a lipídica e a de mucina. O equilíbrio dessas camadas é essencial para a saúde do globo ocular. Quando, por qualquer motivo, essas camadas se desestabilizam, pode resultar em uma rápida evaporação das lágrimas que, como consequência, deixa o olho mais seco.

Uma das causas desse desequilíbrio pode estar relacionada ao uso excessivo do computador ou de alguma outra tecnologia que exige maior atenção e, por consequência, nos fazem piscar menos. “Em média, as pessoas piscam entre 14 e 18 vezes por minuto. O piscar promove uma limpeza de toda sujeira e oleosidade depositada na superfície dos olhos e os mantém hidratados. O problema é que, com a diminuição das piscadas, vêm o ressecamento dos olhos e a irritação desencadeada pelo acúmulo de sujeira”, explica o oftalmologista Dr. Renato Neves.

Outro vilão da estabilização das camadas do filme lacrimal é o vento. Quando em contato direto, ele pode ressecar a superfície do globo ocular e, assim, comprometer sua lubrificação, pois a lágrima evapora mais rápido que o normal. Vale lembrar que as lágrimas contêm anticorpos e proteínas de defesa que auxiliam no combate às ameaças externas.

Outros fatores também podem contribuir para o olho seco , como as mudanças de temperatura e a poluição. “Quem mora em cidades com altos índices de poluição, deve se preocupar ainda mais. Ambientes secos, com ar-condicionado, ou ainda as cabines pressurizadas dos aviões também merecem atenção especial, já que contribuem para desestabilizar o filme lacrimal”, explica Renato.

Sintomas da síndrome do olho seco

Os sintomas da síndrome do olho seco podem ser parecidos com o da conjuntivite, pois, em ambos os casos, o paciente pode apresentar irritação e secura. Portanto, é válido ficar atento a certas ocorrências:

  • Excesso de secreções no olho;
  • Irritação;
  • Olhos avermelhados;
  • Oscilação ou baixa visão;
  • Sensação de areia nos olhos;
  • Coceira;
  • Dificuldade de permanecer em frente ao computador ou ar-condicionado.

Se não tratado, o olho seco tem um poder de evolução e pode desencadear em outras patologias mais graves, como a ulceração da córnea ou até mesmo na perda de visão.

Leia também: Sete alimentos que ajudam a proteger a saúde dos olhos

Tratamento do problema

O tratamento da síndrome olho seco é normalmente feito por lubrificação externa.
shutterstock
O tratamento da síndrome olho seco é normalmente feito por lubrificação externa.

Como existem diversos tipos de olho ressecado, alguns até irreversíveis, o tratamento pode variar de um caso para o outro. Mas, com um diagnóstico precoce, os efeitos podem ser minimizados.

Basicamente, o tratamento é feito por lubrificação externa. “Normalmente, pacientes com síndrome do olho seco têm de fazer o uso de lágrimas artificiais ou até mesmo de pomadas, em casos mais graves”, explica Renato.

Como se previnir

Sabemos que o melhor tratamento é a prevenção. Por isso, com a ajuda de especialistas, o iG trouxe algumas dicas para usar no seu dia a dia que, além de ajudar a evitar a síndrome, contribuem para o bom funcionamento do filme lacrimal.

1. Descanso

Usar computador ou ler por muito tempo “força” a vista e reduz o número de piscadas. Faça pequenos intervalos direcionando os olhos para um ponto distante. Esse exercício também ajuda relaxar a musculatura responsável pelo foco de perto

2. Acerte a altura da tela do computador

O ideal é que a tela fique um pouco mais baixa do que a linha do olhar. Os olhos voltados para baixo ficam mais relaxados e menos abertos. 

3. Piscar

Em atividades que exigem um olhar mais atento, podemos piscar menos do que o necessário. Então, é imprescindível esse hábito, já que contribui para a lubrificação do globo ocular. Uma boa ideia é recorrer a aplicativos de celular que alertam para a necessidade de piscar, ou ainda se programar para fazer pausas a cada 60 minutos e piscar durante 20 segundos.

4. Hidratação

Assim como os lábios e a pele, os olhos também se desidratam e precisam de água (um dos três componentes do filme lacrimal) para repor o líquido perdido.

5. Higiene

Limpar a região dos olhos também é muito importante, já que esse cuidado ajuda a evitar o entupimento das glândulas que secretam componentes para a lágrima. “Lavar os cílios durante o banho com uma gota de xampu neutro para tirar qualquer resíduo prejudicial aos olhos é recomendável”, explica Neves. 

6. Alimentação

Uma dieta balanceada é um dos itens básicos para ter uma boa saúde e afastar as doenças. Apesar de não parecer, com os olhos não pode ser diferente. Dentre os alimentos, existe uma substância que deve ser considerada na dieta diária, o Ômega 3. Ele ajuda na composição da camada mais oleosa da lágrima, importante para evitar que evapore facilmente.

Leia também: Luz azul dos celulares e tablets pode causar degeneração na retina

7. Acessórios

Em dias com muito vento, o contato direto com ele pode resultar no ressecamento do globo ocular. Por isso, aposte em acessórios que evitam esse contato com fatores externos, como o óculos de sol, que ajudam na prevenção da síndrome do olho seco .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.