Tamanho do texto

Comercialização poderá voltar a normalidade quando as reclamações sobre o atendimento forem revertidas; veja quais planos deixarão de ser vendidos

Planos de saúde tiveram as vendas suspensas por má avaliação dos usuários
shutterstock
Planos de saúde tiveram as vendas suspensas por má avaliação dos usuários

A ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) decidiu suspender a comercialização de 31 planos de saúde de 12 operadoras de saúde suplementar a partir de sexta-feira (8). A resolução foi anunciada nesta segunda-feira (4) com base em reclamações recebidas pelo Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento da agência reguladora, durante o primeiro trimestre deste ano.

Leia também: Planos de saúde ampliam cobertura obrigatória e incluem 18 novos procedimentos

No período, foram analisadas cerca de 14 mil reclamações de planos de saúde , sendo a maioria, 39,53%, em razão de questões gerenciais, como autorização prévia, franquia, coparticipação, etc. Também houve grande número de problemas relacionados ao rol de procedimentos e coberturas, o equivalente a 15,85% das reclamações, e prazos máximos para atendimento, 15,04%.

A medida protege os cerca de 115,9 mil beneficiários que já estão cadastrados nas carteiras desses planos e que deverão continuar a ter assistência regular a que têm direito, uma vez que os planos são obrigados a manter a assistência aos clientes.

A decisão da ANS proíbe apenas a venda para novos clientes. Apesar de ser temporária, a suspensão só pode ser revertida caso as operadoras comprovarem melhoria no atendimento nesses planos. Trinta e três planos de 16 operadoras, que haviam sido suspensos anteriormente, por exemplo, serão reativados a partir de sexta-feira.

Veja quais planos de saúde  terão a comercialização suspensa clicando aqui .

Leia também: Planos de saúde vão oferecer medicamentos para câncer e esclerose múltipla

Monitoramento

O Programa de Monitoramento da Garantia de Atendimento avalia as operadoras a partir das reclamações registradas pelos beneficiários nos canais da ANS. Nesse ciclo, foram consideradas as demandas  - como negativas de cobertura e demora no atendimento - recebidas no 1º trimestre deste ano.

Segundo a diretora de Normas e Habilitação dos Produtos da ANS, Karla Coelho, o objetivo do monitoramento é estimular as operadoras a qualificarem o atendimento prestado aos consumidores.

"Apesar de alguns casos reiterados, percebemos que, em geral, as operadoras têm se esforçado para se manter nas melhores faixas de classificação. Isso mostra que o programa tem atingido seu objetivo, já que o monitoramento da garantia de atendimento é um mecanismo que visa dar uma oportunidade para que as empresas revejam seus fluxos de atendimento e o próprio fluxo operacional”, avalia Coelho.

Paralelamente à suspensão, neste ciclo, houve a reativação de 33 planos de 16 operadoras. A partir de sexta-feira, portanto, esses produtos poderão ser comercializados novamente.

Para consultar como anda a situação do seu plano de saúde ou ajudar na escolha de um novo plano, o consumidor pode verificar a avaliação no site da ANS, onde contém informações sobre o programa de monitoramento das operadoras, com o histórico das empresas e os planos de saúde que foram suspensos e reativados.

Leia também: Envelhecimento da população deixará planos de saúde mais caros até 2030


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.