Tamanho do texto

Ficar mais 10 minutos na cama pode parecer tentador, mas também é prejudicial à saúde; veja como a inércia do sono pode atrapalhar seu dia

Utilizar o modo soneca pode aumentar o fenômeno chamado inércia do sono e atrapalhar o desempenho durante o dia
shutterstock
Utilizar o modo soneca pode aumentar o fenômeno chamado inércia do sono e atrapalhar o desempenho durante o dia

Acordar cedo com o som do alarme depois de passar por uma noite de sono conturbada faz com que a opção “soneca” do despertador pareça ainda mais tentadora, não é mesmo? Mas, de acordo com especialistas, garantir alguns minutos extras na cama depois de já ter acordado pode não fazer bem para sua saúde como você imagina.

Leia também: Dormir menos de 5 horas por noite aumenta em 65% risco de morte

Profissionais do Sleep Clinic Services, um centro médico em Brisbane, na Austrália, afirmam que adiar o alarme do despertador pode ser extremamente prejudicial, por fazer com que tanto o corpo quanto o cérebro fiquem confusos, causando o que eles chamam de inércia do sono.

Esse fenômeno nada mais é do que a conhecida sensação de tontura que muitas pessoas têm quando acordam pela manhã. Segundo um estudo australiano realizado pela Universidade de Victoria, a inércia do sono pode durar de 15 a 30 minutos, e afetar funções cognitivas, como a percepção, atenção e memória.

No entanto, de acordo com pesquisa realizada pelo Hospital Brigham and Women, em Massachusetts, nos Estados Unidos, essa inércia pode durar de duas a quatro horas se a pessoa acordar durante o ciclo de sono precoce ou durante o sono profundo.

Para os pesquisadores, quando o  modo soneca é ativado e a pessoa volta a dormir, podem ser liberados hormônios que levam o corpo a pensar que está prestes a cair em um sono profundo outra vez. Dessa forma, quando o indivíduo é abruptamente acordado depois de meros 10 minutos, o corpo e a mente acabam ficando confusos.

Neil Robinson, especialista em sono da fabricante de camas Sealy, explica como pressionar o botão soneca pode afetar negativamente o resto do dia.

Leia também: Uma noite sem dormir já é capaz de colaborar para o desenvolvimento de Alzheimer

Evite o modo soneca do despertador

Ignorar o despertador e voltar a dormir colabora para cansaço durante o resto do dia
shutterstock
Ignorar o despertador e voltar a dormir colabora para cansaço durante o resto do dia

"Acordar sentindo-se revigorado depois de uma ótima noite de sono é algo com que todos sonhamos", afirma ele. “No entanto, a maioria de nós está cometendo erros comuns que estão nos impedindo de obter um descanso de alta qualidade - o que nos torna mais propensos a acordar ainda mais cansados do que quando fomos dormir”.

Robinson explica que ao cochilar por mais 10 minutos, o corpo entende que ele está sendo colocado em um novo ciclo de sono. Ao ser rapidamente interrompido, é possível que os efeitos sejam sentidos pelo resto do dia.

Em setembro passado, o professor neurocientista Matthew Walker revelou suas principais dicas para garantir um despertar o mais descansado possível depois de uma noite de sono. Além de evitar o botão soneca do despertador , ele recomenda o consumo de café descafeinado e evita os cochilos ao longo do dia. 

Leia também: Sono: vilão ou aliado? Confira cinco dicas de como dormir melhor

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.