aDiante da suspeita, a Anvisa recomendou o reforço da vigilância laboratorial do fungo em todos os serviços de saúde do país,
Foto: Divulgação/Anvisa
Diante da suspeita, a Anvisa recomendou o reforço da vigilância laboratorial do fungo em todos os serviços de saúde do País

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) emitiu um alerta, nesta segunda-feira (7), sobre um possível caso de paciente com Candida auris. O fungo é um dos mais temidos do mundo, por ser resistente a medicamentos e levar à morte de 30% a 60% dos infectados.

Em seu alerta, a Anvisa afirmou que o Candida auris (C. auris) "é um fungo emergente que representa uma séria ameaça à saúde pública".

Ainda de acordo com o alerta da Anvisa, o fungo foi identificado em "amostra de ponta de cateter de paciente internado em UTI adulto em hospital do Estado da Bahia".

A amostra foi analisada pelo Laboratório Central de Saúde Pública Profº Gonçalo Moniz (Lacen-BA), em Salvador, e pelo Laboratório do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

Serão realizadas, ainda, análises fenotípicas e por sequenciamento genético, antes do caso ser oficialmente confirmado.

Diante da suspeita, a Anvisa recomendou o reforço da vigilância laboratorial do fungo em todos os serviços de saúde do País, entre outras medidas de controle e prevenção para evitar um surto.

De acordo com a literatura médica, identificou-se o C. auris, pela primeira vez, no ouvido de um paciente no Japão, em 2009. Desde então, vários países tiveram casos confirmados: a Venezuela precisou lidar com um surto do fungo em 2012 e 2013, a Inglaterra, em 2015, e a Colômbia, em 2016.

A Anvisa ainda não sabe ao certo como o C. auris é transmitido, mas há indícios de que a contaminação aconteça por contato em superfícies ou de pessoa para pessoa.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários