Minha Saúde

enhanced by Google
 

Aparelhos de MP3 aumentam problemas de audição

Estudo revela que o número de jovens com traumas sonoros no ouvido cresceu devido ao excessivo volume dos reprodutores de música

EFE | 10/02/2011 16:15

Compartilhar:

Foto: Thinkstock Photos

Na Espanha, um milhão e meio de pessoas sofrem com os zumbidos e, delas, 80% são jovens

O uso de reprodutores de música MP3 e MP4 com um volume superior aos 80 decibéis está provocando um aumento dos problemas de audição nos jovens de 10 a 35 anos, segundo o divulgado nesta quinta-feira em um reunião de especialistas em Barcelona.

Os presentes em um curso internacional de audiologia que reúne 50 especialistas destacaram que o número de jovens com traumas sonoros no ouvido cresceu devido ao excessivo volume dos reprodutores de música e, perante esta situação, fizeram um pedido à indústria para "limitar o som".

O professor da Universidade de Barcelona Joan Domènech Oliva explicou que os zumbidos, que são ruídos contínuos do ouvido que hoje em dia ainda não têm cura, são a principal consequência do volume excessivo, um problema que já afeta 4% da população e, especialmente, pessoas entre 10 e 35 anos.

Saiba mais:

Dormiu ouvindo, acordou surdo

Música influencia o ritmo dos exercícios

Música é usada para tratar pressão alta

Calcula-se que  Domènech assinalou que graças à legislação sobre prevenção de riscos trabalhistas e a existência de meios para prevenir o excesso de ruídos diminuiu o número de casos de zumbidos entre os trabalhadores.

No entanto, a patologia não foi reduzida devido ao grande aumento de casos entre os jovens como consequência do uso de reprodutores de música digitais.

Um total de 4% da população espanhola e de outros países industrializados padece de ruídos constantes graves no ouvido e 1% da população tem uma situação de gravidade extrema, que influi em sua vida diária, afetando gravemente o estado emocional e psicológico.

Perante esta situação, os especialistas recomendam aos jovens que vão para discotecas ou shows e ficam com assobios nos ouvidos que persistem por horas que procurem um especialista para iniciar um tratamento preventivo com o objetivo de evitar o surgimento de zumbidos, que podem chegar a ser crônicos.

Neste sentido, o doutor Joan Domènech ressaltou que seria um grande passo se os reprodutores de música e vídeo incorporassem um indicador de volume ou um limitador, já que acima de 80 decibéis o ouvido corre perigo. Além do trauma sonoro, os zumbidos também podem surgir por infecções graves, otosclerose, ou como efeito secundário de alguns remédios
 

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo