Tamanho do texto

Após o acidente, ele passou a se sentir diferente. Neurologista diz que uma parte diferente do cérebro pode ter sido aberta


Chris mudou sua sexualidade, profissão e estilo
Wales News Pictures
Chris mudou sua sexualidade, profissão e estilo

Um britânico que jogava rúgbi e estava noivo diz que um acidente vascular cerebral mudou sua sexualidade. Chris Birch, de 26 anos, tentava dar um salto mortal de costas em frente a amigos em um campo, quando caiu, quebrou o pescoço e sofreu um AVC .

"Eu era gay quando acordei e ainda sou", disse ele à mídia britânica. "Sei que parece estranho, mas quando ganhei consciência, eu imediatamente me senti diferente. Eu não estava mais interessado em mulheres. Eu era definitivamente gay. Eu nunca tinha sentido atração por homens antes - eu nunca tive nem amigos gays."

Especialistas explicam : Mudança de comportamento pós-AVC está ligada aos efeitos psicológicos da doença


Antes do acidente, Birch diz que passava os fins de semana assistindo a programas de esportes na TV e bebendo com amigos. "De repente, eu passei a odiar tudo na minha vida antiga. Não me dava bem com meus amigos, odiava esporte e achava meu emprego (em um banco) chato", conta ele.

"Eu comecei a me preocupar mais com minha aparência, pintei o cabelo e comecei a malhar. Mudei de um skinhead de 120 quilos a um homem bem cuidado de 70."

Leia também:
Em cada sete casos de AVC, um acontece durante o sono

Além de terminar o noivado e parar de jogar rúgbi, ele mudou de profissão: passou a ser cabeleireiro.  Hoje, ele vive com o namorado em um apartamento em cima do salão onde trabalha.

Ele agora divide o apartamento com o namorado
Wales News Pictures
Ele agora divide o apartamento com o namorado

Cérebro
Birch diz que seu neurologista explicou que o AVC pode ter aberto uma parte diferente de seu cérebro , explicação que é considerada aceitável pela Associação Britânica de AVC.

"Durante a recuperação, o cérebro faz conexões neurais que podem despertar coisas das quais as pessoas não tinham consciência, como um novo sotaque, língua ou talvez uma sexualidade diferente", disse o porta-voz Joe Korner.

Veja aqui : A opinião dos médicos brasileiros sobre o caso do britânico

Apesar das mudanças em sua vida, Birch diz que não se arrepende da transformação. "Acho que sou mais feliz do que nunca."

Siga lendo sobre saúde


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.