Tamanho do texto

De alimentação, a mudanças comportamentais e tratamentos alternativos, muito pode ser feito para aliviar a terrível dor de cabeça

Uma a cada cinco mulheres sofre de enxaqueca
Thinkstock/Getty Images
Uma a cada cinco mulheres sofre de enxaqueca
Enxaqueca é uma condição neurológica complexa, episódica, caracterizada por uma dor intensa e dolorosa, latejante, de um lado só da cabeça.

Entre outros sintomas a pessoa pode sentir náuseas; distúrbio visual; sensação de agulhadas e alfinetadas de um lado do corpo; sensibilidade exagerada a som, luz e odores; pescoço rígido e dolorido; letargia e exaustão.

Leia: Dicas para lidar com a enxaqueca

A enfermidade acomete mais o sexo feminino: pesquisas do Reino Unido apontam que uma entre cinco mulheres sofre com a dor. Mas os homens (um entre 12) e as crianças (uma entre nove) também são vítimas.

Não se sabe exatamente por que as enxaquecas acontecem, porém várias teorias têm sido propostas com base em genética, vasos sanguíneos (constrição e dilatação), sistema nervoso e até uma deficiência do coração .

Também existem fatores desencadeantes da enxaqueca: alimentação, bebidas alcoólicas, fumo, estresse , exercícios extenuantes, alterações no padrão do sono, luzes brilhantes, barulho, odores e alguns medicamentos.

Além do tratamento medicamentoso, com analgésicos, muito pode ser feito para aliviar o incômodo.

“Mudanças na alimentação e técnicas de relaxamento podem ajudar a amenizar as crises”, diz a inglesa Wendy Green, estudiosa no assunto e ela própria portadora de enxaqueca, autora do livro 50 Coisas que Você Pode Fazer para Lidar com a Enxaqueca (Editora Larousse).

Continue lendo:
Enxaqueca: as alternativas aos remédios
Domine o estresse e reduza as crises de enxaqueca
Boa alimentação contra a enxaqueca

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.