Tamanho do texto

Projeto ainda está em fase inicial, e sua eficácia só poderá ser comprovada em alguns anos, dizem os pesquisadores

Cuba iniciará neste ano estudos clínicos para testar em humanos uma vacina terapêutica contra o vírus HIV, que causa a aids , disse uma pesquisadora na terça-feira.

Leia: Mitos e verdades da aids

A vacina chamada Teravac-HIV-1, desenvolvida pelo Centro de Engenharia Genética e Biotecnologia (CIGB, na sigla em espanhol), deve ser testada ainda neste ano em cerca de 30 cubanos soropositivos, disse à Reuters a diretora de pesquisas clínicas da instituição estatal, Verena Muzio.

Ela explicou que serão envolvidos pacientes que ainda não desenvolveram os sintomas da aids, embora tenham o vírus.

Desde 1986, a ilha registrou 15.284 casos de contaminação pelo HIV, numa população que hoje totaliza 11,2 milhões de habitantes. A prevalência do vírus é de 19 casos a cada 10 mil pessoas. Os soropositivos cubanos recebem gratuitamente tratamentos antirretrovirais produzidos localmente.

Os cientistas vinculados ao projeto alertaram contra qualquer excesso de expectativas com a vacina, esclarecendo que o projeto ainda está em sua primeira fase, e sua eficácia só poderá ser comprovada daqui a vários anos.

"Há muitos pesquisadores do mundo inteiro tentando obter vacinas desse tipo, e realmente não se chegou a nenhuma com resultados, digamos, satisfatórios. Nossa aspiração é que funcione, mas realmente falta muito tempo para poder demonstrar sua eficácia como produto", disse Muzio.

Siga o iG Saúde no Twitter

O setor biotecnológico representa uma importante fonte de divisas para a frágil economia cubana. O país vende 38 medicamentos a cerca de 40 países, por um valor que superou 350 milhões de dólares em 2008, último ano com cifras disponíveis. A quantia representa um pouco mais de 10% das exportações nacionais.

O CIGB pretende ampliar seu faturamento com exportações para cerca de 500 milhões de dólares anuais nos próximos cinco anos.

Entre os produtos já oferecidos há vacinas contra meningite B e C, leptospirose e febre tifoide . Vacinas contra câncer de colo do útero , próstata e ovário estão atualmente em fase de testes clínicos, e uma provável vacina contra a dengue está sendo testada ainda em animais.

* Por Rosa Tania Valdes

Continue lendo sobre o assunto:
Para romper o silêncio da aids
Sete dúvidas sobre a "pílula do dia seguinte" da aids
Mulher, avó e HIV positivo

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.