Tamanho do texto

Especialistas creem que prática é consequência esperada da restrição aos emagrecedores no País

selo

Antidepressivos, drogas para combater o diabetes , diuréticos e até mesmo remédios de uso controlado, para tratar epilepsia , com efeitos colaterais fortíssimos, têm sido usados como emagrecedores no Brasil. O aumento dessa prática, dizem os especialistas, é uma consequência esperada da restrição aos emagrecedores ocorrida no País ao longo deste ano.

Leia: As novidades de 2012 para tratar a obesidade

Desde a última sexta-feira está proibido o comércio de anfetamínicos (femproporex, manzidol e anfepramona). Também a venda de sibutramina passou por mudanças: o paciente, agora, tem de assinar um termo em que reconhece os riscos ligados ao consumo da substância.

Já os riscos envolvidos no uso de remédios fora da indicação prevista na bula, prática conhecida como off label, costumam passar despercebidos.

“Já sabíamos que a retirada dos anorexígenos levaria ao aumento do off label. E temos percebido isso no dia a dia da prática clínica”, comenta o endocrinologista Alexander Benchimol, diretor da Associação Brasileira para o estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso). As informações são do Jornal da Tarde.

Siga lendo notícias de Saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.