Tamanho do texto

Chilenos são maioria entre os 500 pacientes de outras nacionalidades atendidos em 3 anos

selo

Cerca de 500 pacientes estrangeiros de 36 países, portadores do vírus da aids , foram atendidos gratuitamente nos últimos três anos no Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids, unidade da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, na zona sul da capital paulista, de acordo com informações da Secretaria da Saúde.

Leia o depoimento: "Deixei o Japão para me tratar no Brasil"

Os chilenos, segunda dados da secretaria, lideram a posição de estrangeiros em tratamento, com 81 pacientes atendidos no período, seguido pelos argentinos, com 55. Mas há pacientes de Portugal, Suíça e até dos Estados Unidos, afirma a secretaria.

Segundo o órgão, grande parte desses estrangeiros mora em São Paulo, ou se mudaram durante o tratamento e há também pacientes que residem em outros países, que chegam ao CRT a cada três ou quatro meses para a realização de consultas e exames.

Dados : Aids mata 33 pessoas por dia no Brasil

Além de oferecer todo o tratamento e atendimento especializado, os pacientes têm à sua disposição todos os medicamentos antirretrovirais, o chamado "coquetel", entregues gratuitamente, segundo a secretaria.

Siga lendo

Jovens homossexuais e cinquentões heteros estão mais visíveis nas estatísticas da aids. Encontros são marcados em casas noturnas e bailes da terceira idade
Getty Images
Jovens homossexuais e cinquentões heteros estão mais visíveis nas estatísticas da aids. Encontros são marcados em casas noturnas e bailes da terceira idade

Aids está na balada gay e nos bailes da terceira idade: cresce o contágio entre jovens homossexuais e idosos

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.