Os tumores podem ser mais agressivos em fumantes com diagnóstico da doença, dizem cientistas

Homens que fumavam na época do diagnóstico demonstraram ter 61% mais chances de morrer por causa do câncer de próstata
AFP
Homens que fumavam na época do diagnóstico demonstraram ter 61% mais chances de morrer por causa do câncer de próstata
Os fumantes com diagnóstico de câncer de próstata correm mais risco de desenvolver tumores agressivos e maior probabilidade de morrer da doença do que os não fumantes, destacaram cientistas americanos.

Os homens que fumavam na época do diagnóstico demonstraram ter 61% mais chances de morrer por causa do câncer de próstata e 61% mais chances de o câncer voltar em comparação com os que nunca fumaram, afirmaram cientistas da Faculdade de Saúde Pública da Universidade da Califórnia em San Francisco.

Cigarro pode matar 8 milhões até 2030

No entanto, ex-fumantes que abandonaram o hábito 10 anos ou mais antes de ser diagnosticados com câncer de próstata demonstraram ter um risco de recorrência e de morte similar aos homens que nunca fumaram, destacou o estudo divulgado no Journal of the American Medical Association.

Seis em 10 fumantes não abandonam cigarro mesmo após o câncer

"Estes dados são estimulantes porque há poucos caminhos conhecidos para que um homem reduza o risco de morrer de câncer de próstata", assegurou um dos autores do estudo, Edward Giovannucci, professor de nutrição e epidemiologia de Harvard. "Para os fumantes, deixar (o hábito) pode reduzir o risco de morrer de câncer de próstata. É outra razão para não fumar", acrescentou.

A pesquisa examinou 5.366 homens diagnosticados com câncer de próstata entre 1986 e 2006. Durante este período, registrou 1.630 mortes, 524 (32%) devido ao câncer de próstata e 416 (26%) de doença cardíaca .

Leia mais:
Conheça a Enciclopédia da Saúde
Consulte também o Guia de Exames
Siga o iG Saúde no Twitter

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.