Tamanho do texto

Após beber demais em um casamento, Abigail Bannatyne não conseguia se levantar da cama no dia seguinte e teve febre de 42º C; sem saber o que fazer, ela ligou para a emergência, onde teve alucinações e poderia ter morrido

Abigail passou o aniversário de 34 anos no hospital enquanto se recuperava da sepse
Arquivo pessoal
Abigail passou o aniversário de 34 anos no hospital enquanto se recuperava da sepse

Depois de ter exagerado na bebida em uma festa de casamento, Abigail Bannatyne, de 34 anos, achou que os sintomas que estavam deixando-a mal e indisposta eram reflexo da ressaca do dia anterior. Antes fosse. Na verdade, a mulher estava com sepse e, por pouco, quase não resistiu à infecção.

Leia também: Britânica quase morre após ignorar 'bolinha' na pele que se transformou em sepse

Por ser uma doença silenciosa e difícil de diagnosticar, é difícil um paciente ou até mesmo um médico suspeitarem de sepse , um conjunto de manifestações graves que acontece em todo o organismo produzidas por uma infecção.

No caso de Abigail, a condição nem foi considerada, ela estava certa que o que estava sentindo era uma resposta de seu organismo ao excesso de álcool que havia ingerido na celebração de casamento de um amigo, na França um dia antes.

“Tive um final de semana bem louco, então quando cheguei ao trabalho na segunda-feira de manhã, eu ainda estava me sentindo mal e apenas presumi que ainda estava superando o que tinha acontecido”, contou ela ao Daily Mail.

Ela lembra que, na hora do almoço, mesmo sentada ao lado de um aquecedor ela tremia de frio, até que um de seus colegas lhe disse que ela parecia doente e deveria ir para casa descansar.

“Eu senti muita dor na região lombar e parecia que meu corpo estava enrijecido, fui para casa e ao me deitar na cama eu não conseguia levantar a cabeça do travesseiro. Então, comecei a vomitar incontrolavelmente, mesmo sem ter comido nada”, relatou.

Mesmo sem condições de pegar os filhos na escola ou trabalhar, ela continuou se convencendo de que era apenas uma ressaca e que estaria bem em alguns dias. Ao permanecer na cama, Abigail percebeu que seu estado de saúde havia piorado e que sua temperatura estava muito elevada.

“Eu estava tão doente que sentia como se estivesse morrendo. Fiquei com tanto medo que decidi ligar, às 4 horas da manhã, para um hospital para marcar uma consulta. Na hora, eu não tinha um termômetro para verificar minha temperatura, mas se eu tivesse, teria percebido como estava doente”, relembrou.

Por não querer incomodar seus familiares, a mulher afirmou a todos que estava bem, e começou a acreditar que o fato de estar se sentindo tão mal poderia estar associado a alguma virose ou gripe .

No entanto, não foi possível aguardar até a consulta médica pela manhã. Abigail ligou para uma ambulância antes de dar 7 horas, quando ela sentiu que não conseguiria mais aguentar aquilo sozinha. "De repente as coisas ficaram sérias. Quando verificaram a minha temperatura, o paramédico disse que precisávamos ir ao hospital imediatamente", disse. Mais tarde os médicos disseram que sua temperatura estava em 42 ° C - considerada tão alta que poderia causar danos cerebrais.

Abigail foi levada às pressas para o Hospital North Tees, no Reino Unido, onde lhe disseram que teria que esperar para conseguir uma cama na ala de emergência. Mas ela estava tão mal que precisou se deitar no chão da unidade hospitalar lotada quando começou a ter alucinações.

“Eu me lembro de dizer aos médicos que eu tinha que me deitar. Me senti tão mal, mas eles conseguiram arrumar uma cama só depois de 10 minutos. Até então eu comecei a ficar realmente delirante e me lembro de sentir que minha cabeça ia cair. Fiquei muito brava quando as pessoas começaram a rir de mim. Foi realmente bizarro. Como se eu estivesse dentro e fora da minha consciência”, afirmou a britânica.

Leia também: Garoto de três anos morre com infecção que contraiu ao coçar ferida de catapora

Diagnóstico

Abigail é filha do empresário milionário Duncan Bannatyne, e seu caso ficou ainda mais conhecido por sua fama
Reprodução/Arquivo pessoal
Abigail é filha do empresário milionário Duncan Bannatyne, e seu caso ficou ainda mais conhecido por sua fama

Ao conversarem com Abigail e examinarem-a, os médicos levaram 30 minutos para descobrirem que era sépsis. Ao investigarem o caso, ela contou que teve uma infecção há alguns meses e que não tomou os antibióticos até o final, como havia sido orientada. Dessa forma, a equipe médica entendeu que o tratamento não foi o suficiente para eliminar o problema.

Foram seis dias no hospital, tendo que celebrar seu 34º aniversário em uma ala cercada por sua família e seus dois filhos, Ava, de nove anos, e Austin, de seis. “Foi perturbador para meus filhos me verem passar por tudo isso. Além de ter ficado no hospital por um tempo, minha vida após a alta também mudou. Antes, eu estava na academia três vezes por semana e corria regularmente. Agora eu me esforço para correr as escadas. Mesmo seis meses depois eu ainda estou me recuperando”, contou.

Alerta

O Dr. Ron Daniels, executivo-chefe da organização Sepsis Trust afirmou que histórias como a de Abigail servem para lembrar sobre os sérios danos que a sepse pode causar. Quanto mais for divulgado sobre a condição, mais vidas podem ser salvas todos os anos.

”Qualquer pessoa com sintomas semelhantes aos da gripe e um ou mais dos principais sinais de sépsis devem se apresentar imediatamente ao atendimento médico, seja chamando uma ambulância ou indo a um pronto-socorro”, afirmou Daniels.

Filha do empresário Duncan Bannatyne, Abigail usa sua fama para alertar a população sobre os problemas que a doença pode causar e ajudar a reconhecer os sinais da condição. "Foi uma experiência realmente assustadora e temo pensar no resultado se não tivesse buscado ajuda a tempo", disse ela.”Poderia ter sido muito pior.”

Ela afirma que não queria preocupar seu pai, que tem uma fortuna estimada em 175 milhões de libras, porque ele estava de férias em Mônaco na época. "Papai estava muito preocupado, mas eu disse a ele para não entrar em pânico e que eu estava melhorando no hospital", acrescentou Bannatyne - que é a segunda filha mais velha dos seis filhos do empresário.

Sepse

Conhecida como "assassina silenciosa", a doença ataca quando uma infecção desencadeia uma resposta imunológica violenta na qual o corpo ataca seus próprios órgãos.

É a principal causa de mortes evitáveis ​​no Reino Unido, matando pelo menos 44 mil por ano.

Se for diagnosticada precocemente, a infecção pode ser controlada por antibióticos antes que o organismo pare de funcionar - levando à morte em questão de minutos. No entanto,  os primeiros sintomas da sepse podem ser facilmente confundidos com condições mais leves, o que significa que pode ser difícil de diagnosticar.

Um paciente pode deteriorar-se rapidamente se a sepse for esquecida precocemente, portanto, o diagnóstico e o tratamento rápidos são vitais - mas isso raramente acontece.

Leia também: Mais da metade dos pacientes com sepse vai a óbito nas UTIs do Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.