Tamanho do texto

Sem saber, britânico estava com uma infecção contraída após morder o canto do dedo, quando roía a unha; "Me disseram que eu tinha sorte por estar vivo"

Roer as unhas pode causar infecções graves no corpo
shutterstock
Roer as unhas pode causar infecções graves no corpo

Não é só uma questão estética: roer as unhas pode causar sérios prejuízos à saúde. E engana-se quem pensa que o problema é só quando a boca entra em contato com eventuais bactérias e germes que poderiam estar nos dedos.

Leia também: Mulher que achava que estava com ressaca quase morre de sepse; entenda a doença

O britânico Luke Hanoman, de 28 anos, que costumava roer as unhas , quase morreu por conta do mau hábito. Ao morder o canto da unha, ele acabou fazendo uma ferida no dedo, o que resultou em um quadro grave de sepse que poderia ter sido fatal, segundo os médicos.

Durante uma semana, o rapaz sofreu com sintomas que pareciam ser de uma gripe. Totalmente inconsciente de que uma infecção estava se espalhando por seu sangue, ele tratou a febre e dor no corpo com analgésicos e antigripais.

“Eu costumava roer minhas unhas o tempo todo. Fazia isso quando estava nervoso ou ansioso. Um dia eu mordi a pele do lado da minha unha. Doeu um pouco, mas eu nunca pensei que poderia resultar em um problema tão grave”, afirmou ele ao Mirror .

Ele conta que estava no trabalho durante a semana quando começou a perceber os primeiros sintomas, que passaram a piorar gradualmente.

“Eu comecei a suar frio, tremia e depois ficava quente. E então meu dedo começou a inchar e latejar de um jeito insuportável. Comecei a ficar muito esquisito e não conseguia me concentrar em nada no trabalho", relatou.

Ao perceber que não estava melhorando, a mãe de Luke que, a aquela altura já estava preocupada com a saúde do filho, ligou para o serviço de emergência do Reino Unido e contou ao telefonista sobre seus sintomas. “Eles me disseram que eu tinha 24 horas para chegar no hospital”, disse Luke.

“Minha mãe me levou ao hospital e a última coisa que eu me lembro é que tinha linhas vermelhas em todo meu corpo”, relembrou o homem. Esse é um sinal comum de que uma infecção está se espalhando e evoluindo para sepse . Além disso, sua temperatura estava extremamente alta.

Leia também: Britânica quase morre após ignorar 'bolinha' na pele que se transformou em sepse

Sepse

Sepse é uma complicação que se desenvolve após uma infecção. O sistema imunológico do corpo começa a funcionar de forma acelerada, o que pode levar a um suprimento sanguíneo reduzido aos órgãos. Se não for tratada, pode levar à falência múltipla de órgãos e à morte.

Luke passou quatro dias no Hospital Southport, no Reino Unido, em julho do ano passado, onde os médicos o trataram com antibióticos. "Foi muito assustador", disse ele. “Eu estava em observação 24 horas. Eles me disseram que eu tive sorte de aguentar tanto tempo, porque eu estava perto de sofrer com um choque séptico. Me disseram que eu tinha sorte por estar vivo”.

Existem cerca de 123 mil casos de sépsis na Inglaterra a cada ano. Segundo o Sistema Nacional de Saúde do país (NHS, na sigla em inglês), cerca de 37 mil pessoas morrem por conta dessa complicação.

Os sintomas da condição incluem sentir-se letárgico, ter uma temperatura alta e respiração acelerada. Tontura, diarréia e pele manchada, corada ou pálida também podem indicar sepse.

Luke afirmou que não sabia nada sobre sepse antes disso. “Acho que é importante que as pessoas saibam o que é para que levantem a suspeita sempre que sintomas como esses aparecerem”, finalizou.

Leia também: Garoto de três anos morre com infecção que contraiu ao coçar ferida de catapora

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.