Tamanho do texto

“Se o bloqueio tivesse sido mais severo e resultado em granulação tecidual, todo o órgão poderia entrar em colapso”, disse médico responsável pelo caso

Mulher teve que ser operada com urgência para que a pata do lagostim não comprometesse seu pulmão direito
Reprodução/Daily Mail
Mulher teve que ser operada com urgência para que a pata do lagostim não comprometesse seu pulmão direito

Uma mulher, identificada apenas pelo seu sobrenome Lin, quase perdeu um pulmão após engolir a pata de um lagostim. Segundo informações do Daily Mail , ela foi diagnosticada com broncoaspiração, que ocorre quando alimentos ou líquidos ficam presos nas vias aéreas.

Leia também: Indiano sofre fratura peniana após 'ereção eterna' causada por viagra

O caso aconteceu na província de Hubei, na China, no começo desta semana. Logo após terminar de comer o lagostim , - que pode ser o nome dado a espécies menores de crustáceos e camarões de grandes dimensões - a mulher começou a sentir um certo desconforto. Sem imaginar que poderia ser algo grave, ela não se preocupou em procurar auxílio médico com muita urgência e esperou que a dor passasse naturalmente.

Mas isso não aconteceu. Algum tempo depois, ela apresentou dificuldades respiratórias e teve que ser hospitalizada na cidade de Yichang. Os exames solicitados pelos médicos revelaram que uma pata do crustáceo que Lin comeu foi parar no seu pulmão direito, o que poderia causar danos irreversíveis ao seu sistema respiratório.

O nome médico para o problema é broncoaspiração, quadro que foi comprovado por meio de uma endoscopia. A pata tinha cinco centímetros e foi imediatamente retirada em uma cirurgia de emergência.

Agora a chinesa se recupera da operação, porém, a situação poderia ter acabado de forma grave. O médico Zeng Fanjun, responsável pelo caso de Lin, explicou que o corpo estranho poderia tê-la deixado sem o pulmão.

“Se o bloqueio tivesse sido mais severo e resultado em uma granulação tecidual, todo o órgão poderia ser obstruído e, eventualmente, entrado em colapso”, disse para a imprensa local. “Não teríamos opção que não removê-lo inteiro”.

Casos raros envolvendo os pulmões para além do lagostim

Se em um caso o órgão ficou comprometido por causa de um lagostim, no outro foi descoberto um câncer de pulmão
Reprodução/Facebook
Se em um caso o órgão ficou comprometido por causa de um lagostim, no outro foi descoberto um câncer de pulmão

Em outro caso envolvendo a saúde dos pulmões , depois de ouvir da filha que suas unhas estavam feias e “caídas”, Jean Taylor, de 53 anos, buscou atendimento médico por insistência da família e, ao ser examinada por especialistas que consideraram o sintoma, ela acabou descobrindo um câncer de pulmão .

Taylor conta, em um desabafo publicado em suas redes sociais, que se sentiu "ridícula" ao perguntar ao médico sobre as unhas, que se curvavam ao redor das pontas dos dedos. No entanto, ele foi capaz de reconhecer o sintoma pouco comum do câncer de pulmão . Ao enviá-la para uma série de testes, o diagnóstico foi confirmado.

A britânica reforça que o especialista foi capaz de salvar sua vida por ter associado o formato das unhas à possibilidade de ser câncer – que ficou comprovado após exames apontarem dois tumores do tamanho de bolas de golfe em ambos os pulmões.

A doença dificilmente apresenta sintomas específicos, o que dificulta sua investigação e aumenta os índices de mortalidade – as taxas de sobrevivência ao câncer de pulmão estão entre as mais baixas em todo mundo. No Brasil, por exemplo, essa é a principal causa de morte por câncer entre os homens e a segunda maior entre as mulheres.

Leia também: Conheça a bebê de dois anos que sofre de doença tão rara que nem sequer tem nome

No caso do lagostim , a cirurgia para a remoção da pata foi considerada um sucesso e a paciente se recupera no hospital.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.