Tamanho do texto

Procura tardia do diagnóstico dificulta tratamento e compromete sucesso da terapia contra o HIV

Pessoas demoram para fazer o teste de aids
Getty Images
Pessoas demoram para fazer o teste de aids
Um levantamento feito no Estado de São Paulo mostra que a maior parte da população demora mais de 15 anos de vida sexual ativa para fazer o primeiro teste de HIV. A procura tardia, afirmam os médicos, compromete o tratamento caso o resultado seja positivo.

Para chegar aos dados, os técnicos da Secretaria de Estado da Saúde entrevistaram 36 mil pessoas durante a Campanha Fique-Sabendo – que incentiva a testagem para o HIV – realizada em São Paulo.

Mais da metade dos interessados em saber se eram portadores do vírus tinham mais de 30 anos. Este cenário é considerado preocupante, já que em média o brasileiro inicia a vida sexual aos 15 anos e seis em cada dez pessoas admitem que não utiliza camisinha em todas as relações sexuais.

"A população mais jovem ainda não busca o teste do HIV. Em várias situações, o diagnóstico de aids é descoberto e a pessoa já está em um quadro de UTI, em um pronto socorro ou mesmo muito próximo ao óbito”, afirmou a coordenadora do Programa Estadual de DST/Aids, de São Paulo, Maria Clara Gianna, ao programa Rádio Saúde, do Ministério da Saúde. “Nós precisamos incentivar as populações a buscarem a realização desses testes. Quanto mais tardio, mais complicado é para a vida daquela pessoa."

Casados

O desconhecimento do diagnóstico do HIV não está concentrado em solteiros. Os casados e com relacionamento fixo também não procuram os testes. Uma das consequências disso é o aumento da proporção de casos de aids em mulheres com mais de 50 anos, casadas e que contraíram o vírus do marido. É o caso de Beatriz Pacheco, mulher, avó e HIV positivo .

O sexo feminino, por sinal, é maioria entre os que já fizeram testes de aids (60% delas contra 40% deles) e a liderança é explicada porque quando engravidam, obrigatoriamente, as mulheres precisam fazer o diagnóstico do HIV. Para atrair mais homens nas estatísticas de “testados”, uma das ideias do Ministério da Saúde já em curso é implantar o “pré-natal do papai ”.

Conhecer a sua própria condição de saúde, afirmam os médicos, é a forma mais segura de proteção própria e também do parceiro. Os exames para detectar o vírus HIV são disponibilizados gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde. Para saber onde são realizados os testes, basta ligar para o Disque-DST/Aids, 0800-16-25-50

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.