Tamanho do texto

Na cirurgia, feita há dois anos, especialistas utilizaram um endoscópio para acessar o pulmão do feto dentro da barriga da mãe

A pequena Alaitz, entre os pais Mónica e Marcos, com a equipe que fez a cirurgia
Josep Lago / AFP
A pequena Alaitz, entre os pais Mónica e Marcos, com a equipe que fez a cirurgia
Uma equipe de médicos espanhóis realizou pela primeira vez no mundo uma cirurgia em um feto para eliminar uma obstrução total dos brônquios, salvando a vida da bebê Alaitz.

"É a primeira vez que se tenta e se consegue isso no mundo", declarou à AFP o dr. Eduard Gratacós, chefe do serviço de Medicina Maternofetal do hospital Clínic de Barcelona.

"O feto sofria uma atresia bronquial, uma obstrução total dos brônquios do pulmão direito, que era um risco para a vida porque o pulmão crescia anormalmente e se comportava como um tumor", explicou Gratacós, que fez parte da equipe dos hospitais Clínic e Sant Joan de Deu, que conduziram a operação em questão em 2010.

"Sem a terapia fetal, o bebê não queria sobrevivido", acrescentou, referindo-se à menina que agora tem 16 meses e que foi apresentada nesta terça-feira à imprensa, sob os olhares de seus pais, Marco e Mónica Corominas.

"Alaitz é completamente normal: ri quando está contente, chora se tem fome", explicou Mónica.

A atresia bronquial é uma anomalia congênita muito pouco frequente, que afeta um em cada dez mil fetos, segundo Gratacós.

Siga o iG Saúde no Twitter

Os especialistas realizaram uma endoscopia traqueal fetal (utilizadas em outras doenças) para chegar até o ponto em que o brônquio estava obstruído, perfurar a obstrução e reconectá-lo à árvore bronquial. A operação levou apenas 30 minutos.

"Nestes casos, é preciso operar muito rápido, como se assalta um banco", brincou o dr. Gratacós.

Este tratamento pioneiro foi apresentado por Gratacós e pelo chefe da unidade de cardiologia fetal do Clinic, Josep María Martínez, e pelos médicos do hospital Sant Joan de Deu, a cirurgiã pediátrica Montserrat Castañón e o neonatologista Julio Moreno.

Continue lendo notícias sobre Saúde

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.