Tamanho do texto

Para estimular doações nesse fim de ano e facilitar recrutamento, voluntários farão cadastro em rede social

Doação de sangue: doar é fácil, rápido e pode salvar mais de uma vida
Getty Images
Doação de sangue: doar é fácil, rápido e pode salvar mais de uma vida
O Dia Nacional do Doador Voluntário de Sangue é comemorado nesta sexta-feira (25). Em um período do ano difícil para os bancos de sangue, porque começam as férias e os doadores somem, a data será celebrada pelo Ministério da Saúde com uma novidade: um aplicativo no Facebook para cadastro de doadores em todo o País.

A proposta é que os mais de 300 bancos espalhados pelo Brasil consigam fazer convocações mais pessoais e direcionadas, pedindo a doadores específicos (de acordo com a necessidade de determinado tipo sanguíneo) uma colaboração. No fim do ano, de acordo com o coordenador geral da área de Sangue e Hemoderivados do Ministério da Saúde, Guilherme Genovez, os estoques caem entre 20% e 30%.

“É a época em que, por um lado, temos o aumento da violência urbana, mais acidentes, um pico de consumo de sangue. E ao mesmo tempo, temos uma baixa grande nos estoques porque os doadores saem de férias e não comparecem aos bancos”, conta Genovez. Por isso, as campanhas de doação voluntária serão intensificadas.

De acordo com o coordenador, o Brasil recolhe 3,5 milhões de bolsas de sangue por ano. Um índice baixo perto do que o País precisa – cerca de 6 milhões – e do tamanho da população brasileira. Na França, ele exemplifica, que possui 65 milhões de habitantes, são recolhidas 2,5 milhões de bolsas de sangue anualmente. Apenas 2% da população brasileira é doadora de sangue.

Apesar de o índice estar dentro dos parâmetros preconizados pela Organização Mundial de Saúde (OMS) – entre 1% e 3% da população ser doadora de sangue – o governo quer aumentar a rede de solidariedade. A demanda por sangue nos hemocentros tem crescido por causa do aumento de transplantes (58,3% de 2003 para 2009) e do tratamento de doenças como a leucemia, que necessitam de transfusões sanguíneas.

Cadastro virtual

Com o cadastro via rede social, o Ministério da Saúde aposta em mais regularidade nas doações. Segundo Genovez, os bancos de sangue de todo o País estão conectados com esse tipo de mídia e podem fazer convocações sempre que precisarem, em qualquer época do ano. O aplicativo ficará disponível na página do ministério no Facebook .

Os doadores que se interessarem terão de preencher um formulário, informando seu tipo sanguíneo. Depois da “doação virtual”, ele pode convidar amigos para fazer o mesmo e vê-los a partir de seus tipos sanguíneos também. Com a mobilização em rede, o Ministério espera aumentar bastante os cadastros de doadores em todo o País.

Genovez lembra que a doação de sangue é também promotora de saúde, já que, para doar, o voluntário precisa manter hábitos saudáveis. Os interessados em doar sangue precisam ter mais de 50 kg; entre 18 e 67 anos (ou acima de 16 anos com autorização dos pais) e não podem doar em jejum, depois de uma noite mal dormida (é exigido repouso mínimo de 6 horas na noite anterior) ou ter ingerido bebidas alcoólicas (12 horas antes). Também precisam evitar fumar (por pelo menos 2 horas) e comer alimentos gordurosos (3 horas) antes da doação.

Quem teve diagnóstico de hepatite após os 11 anos de idade; mulheres grávidas ou amamentando; pessoas expostas a doenças transmissíveis pelo sangue como AIDS, hepatite, sífilis e doença de chagas; usuários de drogas e quem teve relacionamento sexual com parceiro desconhecido ou eventual sem uso de preservativos também não podem doar sangue.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.