Tamanho do texto

Em casos de alta miopia a retina é mais frágil. Dependendo da técnica cirúrgica para redução do grau, os riscos aumentam

A cirurgia para correção de miopia requer cuidados especiais
Thinkstock/Getty Images
A cirurgia para correção de miopia requer cuidados especiais
Qualquer pessoa pode sofrer descolamento de retina – a camada interna do olho sobre a qual são projetados os estímulos luminosos, a partir dos quais o cérebro elabora as imagens.

Embora seja normalmente provocado por um trauma na cabeça ou na face, o descolamento também pode surgir sem qualquer motivo, devido a alterações do humor vítreo – substância gelatinosa e viscosa que preenche a porção entre o cristalino e a retina.

Siga o iG Saúde no Twitter

É possível, porém, míopes de alto grau (a partir de 5 graus) relatarem descolamento de retina após uma cirurgia de correção da miopia, também chamada de refrativa. Quanto maior o grau a ser corrigido, maior é a probabilidade do descolamento acontecer.

“O problema não está relacionado à cirurgia em si, mas sim à própria miopia – especialmente a partir dos cinco graus”, diz o oftalmologista Renato Neves, diretor-presidente do Eye Care Hospital de Olhos, de São Paulo.

Leia também: Médicos explicam ligação entre doenças nos olhos e no coração

“Os míopes têm globos oculares com dimensões maiores e retinas mais finas e frágeis, o que aumenta o risco de descolamento”, completa o oftalmologista Paulo Schor, professor adjunto livre docente e vice chefe do Departamento de Oftalmologia da Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP).

Para diminuir esse risco, antes de realizar a cirurgia os pacientes com alta miopia em especial devem passar por uma avaliação médica criteriosa para só depois decidir pela técnica.

“O procedimento a laser, indicado para quem tem menos de oito graus, é o mais seguro. Mas vale lembrar que não existe risco zero. Uma das técnicas de cirurgia intra-ocular, na qual o médico tira a lente natural do olho e coloca outra, aumenta as chances de descolamento de retina. Isso porque esse olho é mais instável e nessa manipulação se retira a sustentação da retina. Essa técnica é feita apenas em casos muito especiais de alta miopia e se trata de uma cirurgia experimental, restrita a protocolos de pesquisa”, explica Schor.

Leia também: Cirurgia para correção de grau: procedimento não é para todos os olhos

Para quem tem alto grau de miopia ou já apresentou problemas na retina, os especialistas indicam primeiro tratar a retina.

“É um procedimento seguro, com laser. E o médico fica muito mais tranquilo ao indicar a operação. O paciente com retina já tratada pode passar a ser um bom candidato à cirurgia refrativa”, diz o médico da Unifesp.

Como identificar

O descolamento não provoca dor. O primeiro sinal do problema é notar pontos luminosos, como flashes, com o olho fechado. Depois, você sente perda de uma parte do campo de visão.

“Percebeu os flashes, perdeu uma parte do campo de visão e tem alta miopia, é provável que a retina tenha descolado. Trata-se de uma urgência oftalmológica. E quanto mais rápido for o atendimento especializado, menos dano a ocorrência causará ao olho”, diz Schor.

Segundo o especialista, uma vez que se descola, a retina começa a morrer. Se esse descolamento chegar à região central da visão (mácula) pode levar à cegueira.

Continue lendo:
Os riscos ocultos das lentes de contato
Quais podem ser as causas de olhos lacrimejantes?
Filmes em 3D não fazem mal aos olhos
Cor da lente influencia a proteção dos óculos escuros

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.