Tamanho do texto

Estudo realizado com 106 estudantes mapeou duas características comportamentais que podem levar a doenças cardíacas

Narcisistas estão mais vulneráveis à doenças cardíacas
Getty Images
Narcisistas estão mais vulneráveis à doenças cardíacas
O senso inflado de autoimportância comum ao narcisismo pode ser tóxico para os relacionamentos, mas um novo estudo sugere que esse traço da personalidade também pode prejudicar a saúde dos homens.

Pesquisadores das Universidades de Michigan e Virginia descobriram que homens narcisistas tinham níveis significativamente mais elevados do que outros de cortisol, um hormônio do estresse ligado à pressão alta e problemas cardíacos .

"Este estudo foi uma maneira de ver se existem conseqüências físicas desse comportamento", disse a co-autora Sara Konrath, professora assistente de pesquisa da Universidade do Instituto Michigan de Pesquisa Social. O estudo foi publicado na revista PLoS ONE.

SIGA O IG SAÚDE NO TWITTER

Konrath e seus colegas aplicaram um questionário com 40 perguntas a 106 estudantes universitários, medindo cinco componentes do narcisismo: auto-percepção, superestimativa de sua singularidade - atratividade ou inteligência, por exemplo -, sensação de grandiosidade, exploração e sensação de direito adquirido.

Eles também mediram duas vezes os níveis de cortisol na saliva dos alunos para avaliar os níveis basais do hormônio, o que sinaliza a atividade do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal (HPA), o sistema de resposta-chave ao estresse.

Narcisistas estão mais vulneráveis
Getty Images
Narcisistas estão mais vulneráveis
Homens exploradores e com a sensação de direito adquirido têm pontos de vista frágeis sobre si e podem reagir defensivamente e recorrer à agressão quando o sentimento de superioridade for ameaçado. Os três demais componentes desse tipo de personalidade (liderança/autoridade, arrogância/superioridade e autoadmiração) não trazem prejuízos à saúde.

Entre os sexos

Apesar de homens e mulheres serem igualmente narcisistas, autores do estudo disseram que a resposta ao estresse não foi observada nas participantes femininas.

Enquanto os dados do estudo não explicam por que só eles parecem sofrer com uma resposta maior ao narcisismo, Konrath acredita que "as definições sociais da masculinidade podem deixar os homens mais vulneráveis psicologicamente".

"Eles têm risco elevado porque alguém que admite que está estressado vai buscar ajuda, mas eles não se sentem assim", disse ela. Konrath disse que pesquisas futuras incidirão sobre a razão pela qual as mulheres não respondem fisiologicamente ao narcisismo como homens. Níveis de narcisismo aumentaram em ambos os sexos, nos últimos anos, diz ela, talvez como um subproduto do chamado "movimento de auto-estima", que enfatiza o louvor em vez da crítica.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.