Tamanho do texto

Brasil está em segundo lugar no ranking de cirurgias realizadas, atrás apenas dos Estados Unidos

selo

O número de cirurgias bariátricas, conhecidas como redução de estômago e indicadas no tratamento da obesidade mórbida, sofreu um aumento de 500% no Brasil na última década, de acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica.

O procedimento foi realizado cinco mil vezes em 1999, número que passou de 30 mil em 2009. Esse crescimento coloca o Brasil na segunda posição do ranking mundial de cirurgias bariátricas, ficando atrás apenas dos EUA, com 300 mil procedimentos por ano.

A redução do estômago para perda de peso é recomendada quando o índice de massa corporal (IMC) é maior que 40 em pessoas com idade superior a 18 anos, homens ou mulheres.

O procedimento pode ser recomendado, ainda, se o IMC estiver entre 35 e 40 e o paciente apresentar diabetes, hipertensão arterial, apneia do sono, hérnia de disco ou outras doenças associadas à obesidade.

Nos casos que o IMC do paciente fica entre 35 e 40 é preciso uma avaliação prévia e individualizada para ver se realmente a cirurgia bariátrica é recomendável.

A cirurgia bariátrica é a última opção para o paciente que já tentou, sem sucesso, reduzir peso por métodos tradicionais?, explica o médico Roberto Rizzi, especialista em obesidade. A cirurgia, porém, não garante a redução de peso em definitivo. As informações são do Jornal da Tarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.