Tamanho do texto

Acessório também pode agravar dor nas costas em que já passou da fase escolar

Ortopedistas orientam adultos a utilizar a mochila de maneira adequada
Getty Images/Thinkstock
Ortopedistas orientam adultos a utilizar a mochila de maneira adequada
As crianças e os adolescentes já são alvos frequentes dos alertas dados por médicos e fisioterapeutas sobre a maneira correta de utilizar a mochila, mas os ortopedistas ouvidos pelo iG Saúde afirmam que as preocupações também precisam ser levadas em conta por quem já passou da fase escolar.

Veja aqui: Saiba se o peso da mochila do seu filho está correto

Ainda que sedentarismo, as horas passadas em frente ao computador e a obesidade não possam ser carregadas na bolsa de duas alças, estes fatores pesam ainda mais quando são os adultos a usarem este acessório.

“O peso demasiado levado nas costas, que ultrapassa os limites suportáveis, são prejudiciais tanto para crianças quanto para adultos”, alerta o neurocirurgião do Hospital Edmundo Vasconcelos, em São Paulo, Oswaldo Tella, ao ressaltar que muitos dos que fazem parte do segundo grupo já convivem com outros fatores de risco para dores nas costas.

Dados do Ministério da Saúde mostram que metade da população brasileira com mais de 18 anos está acima do peso e que 80% não fazem atividades físicas em quantidade ideal, duas condições agressivas para a coluna. Outro dado é que as dores crônicas nas costas são a primeira causa de afastamento do trabalho , conforme levantou a reportagem no banco virtual do Ministério da Previdência.

Por isso, o médico ortopedista do grupo de coluna do Instituto de Ortopedia do Hospital das Clínicas de São Paulo, Raphael Marcon, lista quatro regras básicas para usar mochilas sem que elas machuquem ainda mais o corpo dos adultos.

É importante ressaltar que já na infância e adolescência, a pessoa pode colher os prejuízos do descuido com a bolsa – três em cada dez estudantes são afetados segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (Sbot).

Até 10% do peso corporal

Antes de selecionar os itens que vai carregar na mochila, faça as contas: o notebook, as blusas, a maquiagem, os blocos e revistas não podem pesar mais do que 10% do seu peso corporal. Ou seja, se você pesa 60 quilos, no máximo, a mochila tem de pontuar 6 kg na balança.

Alças grossas e reforçadas

Não importa a vestimenta por baixo da mochila. Terno e gravata, tailleur, camisa ou camiseta não vão amenizar o impacto da mochila. Para evitar lesões e dores, as alças precisam ser grossas e, de preferência, acolchoadas. Sempre carregue a mochila apoiada nos dois ombros.

Siga o iG Saúde no Twitter

Altura

A mochila carregada de forma adequada fica encostada nas costas inteiras. Regular a altura é importante para não prejudicar as articulações. Se estiver muito para baixo, já no começo da região lombar, ou muito para cima (na região dos pulmões), o acessório pode comprometer a postura.

Nada de exercícios físicos

Muitas pessoas utilizam a mochila para carregar a roupa da ginástica. Dois pontos importantes são ressaltados pelos ortopedistas: não é indicado fazer atividades com as mochilas penduradas. Correr, caminhar, andar de bicicleta ou de skate são ótimas formas de movimentar o corpo, mas o médico Raphael Marcon diz que a mochila, nestes casos, pode ser um peso extra que compromete todas as articulações.

“Mesmo quem está com o índice de massa corpórea (IMC – calcule o seu aqui ) indicado, pode simular um sobrepeso. A carga extra é prejudicial.”

Siga lendo sobre Bem-Estar e Exercícios

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.