Tamanho do texto

Dos 80 países do mundo com baixo índice de doações, 79 são nações em desenvolvimento

Doação de sangue: doar é fácil, rápido e pode salvar mais de uma vida
Getty Images
Doação de sangue: doar é fácil, rápido e pode salvar mais de uma vida
Mais sangue, mais vida. Com esse slogan, é celebrado hoje o Dia Mundial do Doador de Sangue. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada ano são captadas 92 milhões doações voluntárias de sangue. Um número muito longe do ideal levando-se em conta que aproximadamente metade das doações é colhida em países desenvolvidos, onde habitam apenas 15% da população mundial.

Outro alerta para nós, os pobres ou emergentes: segundo a OMS, dos 80 países do mundo com baixo índice de doações de sangue (menos de 10 doações por cada 1.000 habitantes), 79 são nações em desenvolvimento.

Leia: No Brasil, apenas 1,9% da população doa sangue regularmente

Doar sangue periodicamente ajuda a evitar a escassez nos hospitais que mais precisam: prontos-socorros e centros especializados em transplantes, no tratamento de cânceres (especialmente os do sangue, como as leucemias ) e no atendimento a mulheres com complicações obstétricas (hemorragias antes, durante ou após o parto).

Leia: Hemorragia na gravidez afasta do trabalho 65 mulheres por dia

A necessidade de doações regulares é constante, pois o sangue só pode ser conservado por um tempo limitado. Embora a ciência esteja avançando no desenvolvimento de órgãos e tecidos humanos em laboratório, ainda não existe um substituto para o sangue humano. Só quem precisa de sangue sabe a importância que há numa doação. Não espere você ou alguém que você ama precisar. A doação é simples, rápida e pode salvar a sua vida.

Saiba como doar
Veja a lista de hemocentros no País

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.