Tamanho do texto

Exagerar no videogame pode trazer lesões por prática excessiva de esforço

Lesões nos membros superiores são as
Getty Images
Lesões nos membros superiores são as "wiites" mais comuns
Com tempo de sobra para se divertir durante as férias, o videogame ganha destaque entre as brincadeiras escolhidas não só pelas crianças, mas também pelos adultos. As muitas horas gastas com o eletrônico, no entanto, podem trazer inflamações musculares sérias, principalmente nos modelos em que há interação física.

No ambiente de trabalho, os machucados provocados por uso do computador ou outros aparelhos necessários para a profissão são chamados de doenças ocupacionais. Uma muito comum é a tendinite (inflamação dos tendões).

O termo “Wii-te”, então,  passou a definir as lesões por esforço repetitivo associadas à prática excessiva de exercícios em jogos de Wii, revela Jennifer Roth, especializada em medicina esportiva, da Clínica Mayo de Jacksonville, Flórida.

Junto com o Wii, Kinect e PlayStation Move são outros modelos mais famosos do mercado. “É importante seguir as instruções e usar o videogame de forma sensata. Não se pode cometer excessos. O videogame pode ser um bom aparelho de exercício, quando praticado de forma adequada – e uma alternativa de atividade física para pessoas que levam vidas sedentárias”, diz a médica.

O problema, até então sem nome certo para o gerente de comunicações, Alexandre Pereira, já é velho conhecido. Logo depois de adquirir o aparelho durante uma viagem aos Estados Unidos, há quatro anos, as dores nos braços passaram a incomodá-lo com freqüência. “Era novidade e eu passava horas jogando. Chamava meus amigos para irem em casa e ficávamos horas nos divertindo. No dia seguinte, tinha dificuldade para manobrar o carro, por exemplo”, relata.

nullAs maiores queixas são de dores no ombro, no cotovelo e nos punhos, além de outros problemas como distensão e, ocasionalmente, estiramento muscular. Para Alexandre, a dor foi um bom termômetro para demonstrar o quanto ele estava exagerando nas noites em que passava jogando boxe e boliche virtuais.

Os médicos alertam: se a dor persistir por mais de um dia, o ideal é procurar um especialista. Somente um profissional poderá indicar o melhor tratamento analisando cada caso, podendo ser necessário o repouso e a utilização de medicamentos.

Desligue esse videogame, menino!

Mas não é preciso uma atitude drástica como aposentar o jogo. A recomendação dos médicos é cautela e bom-senso para evitar possíveis complicações. “Antes de começar, defina um tempo razoável de jogo, algo entre 20 a 30 minutos. Se sentir alguma dor, pare”, aconselha a médica.

Os próprios jogos têm mecanismos que ajudam a evitar essas lesões, basta não ignorá-los. O Wii, por exemplo, mostra ao usuário a quanto tempo ele está jogando e dá um alerta quando esse tempo ultrapassa 20 minutos corridos.

Além disso, em suas recomendações de segurança, o aparelho sugere que o jogador faça intervalos de até 15 minutos a cada hora. O lançamento mais recente, o Kinect, que vendeu oito milhões de unidades em 60 dias e deve chegar ao Brasil nos próximos meses, também avisa quando o jogador está passando dos limites.

Alongamento

Apostar em séries de alongamentos antes e depois do jogo também ajudam a minimizar os problemas. Como tronco e braços são os mais utilizados, foque nos membros superiores. “Faça séries de 30 segundos para braços, antebraços, punhos, coluna e pescoço”, ensina o fisioterapeuta Jonatan Panza. “A cada 20 ou 30 minutos de jogo, dê uma pausa, beba água, faça movimentos diferentes daqueles que estão sendo exigidos”, completa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.