Nova terapia aumenta em 20% a taxa de cura do câncer infantil

Tratamento serve apenas para alguns tipos de câncer, mais raros e malignos

AFP | 30/09/2010 12:53

Compartilhar:

Uma nova terapia aumenta em 20% a taxa de cura do neuroblastoma, um tumor maligno raro e mortal que afeta principalmente crianças, segundo um estudo clínico publicado nesta quinta-feira e que marca o primeiro avanço em 10 anos contra esse câncer que afeta o sistema nervoso simpático.

Os pesquisadores obtiveram estes resultados utilizando agentes biológicos que estimulam o sistema imunológico.

O tratamento permite melhorar em 20% a taxa de sobrevivência em um período de dois anos, comparando-se com outras terapias padrão, como a quimioterapia.

"Esperamos que os resultados do estudo mudem o enfoque clínico para tratar este câncer geralmente mortal", destaca John Maris, diretor do centro de pesquisas do câncer infantil do Hospital de Crianças da Filadélfia e coautor da pesquisa.

O estudo foi publicado no New England Journal of Medicine, com uma pesquisa em separado sobre os riscos do neuroblastoma.

O neuroblastoma se manifesta geralmente em forma de tumor no peito ou no abdômen.

O estudo foi feito com 226 pacientes. A metade recebeu o tratamento padrão e a outra parte uma imunoterapia com anticorpos concebidos para destruir seletivamente as células cancerosas.

Depois de dois anos, 54% dos doentes tratados com quimioterapia sofreram uma recorrência do câncer, que quase sempre é fatal. No mesmo período, a doença reapareceu em apenas 34% dos pacientes tratados com a nova imunoterapia.

 

    Notícias Relacionadas


    Ver de novo