Tamanho do texto

O Estado de São Paulo ganhou nesta quinta-feira um centro público com capacidade para realizar até 90 mil sessões por ano de radioterapia, um dos tratamentos mais eficazes para pacientes com câncer.

O espaço vai funcionar no Instituto do Câncer de São Paulo (Icesp), na capital, e também deve oferecer 30 mil ressonâncias magnéticas e 18 mil exames de medicina nuclear anuais.

Atualmente, um dos principais gargalos da saúde pública é a oferta de radioterapia e exames por imagem. No País inteiro, informou a Sociedade Brasileira de Radioterapia, são apenas 177 serviços habilitados para a oferta do tratamento ¿ entram na conta unidades públicas e particulares.

Apesar dos poucos centros de radioterapia ¿ tratamento mais indicado para os tumores malignos detectados precocemente ¿ o número de pacientes com câncer é crescente no Brasil. Segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o incremento anual de novos casos é de 10%. Só para este ano, são projetados 490 mil novos registros da doença.

O investimento do novo serviço de radioterapia foi de R$ 70 milhões, arcados pela Secretaria de Estado da Saúde e também pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP). A radioterapia do Icesp não começa a funcionar com plena capacidade. A meta é que até julho deste ano os 2.687 metros quadrados do local estejam funcionando na totalidade. Para preservar a emissão do material radioativo, os equipamentos foram instalados em um bunker subterrâneo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.