Tamanho do texto

Dados do Sistema Nacional de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde, revelam que 36 pessoas morreram neste ano, no período de 3 de janeiro ao dia 20 deste mês, devido ao vírus da Influenza A (H1N1), popularmente conhecida como gripe suína.

Nesse intervalo, foram notificados por esse sistema 136 óbitos em todo o Brasil. Do total, 26,4% (36) foram confirmados, 15,4% (21) estão sob investigação e 58,1% foram descartados para o vírus da nova gripe.

Dentre as mortes confirmadas por causa da gripe A, 66,7% (24) dos casos ocorreram na região Norte. Segundo registros no sistema, do total de óbitos confirmados, 41,7% (15) apresentaram pelo menos uma comorbidade referida. O levantamento aponta ainda que 77,8% (26) eram do sexo feminino, 64,3% (18) estavam em idade fértil (15-49 anos) e 61,1% (11) eram gestantes.

No período de 3 de janeiro a 20 de março foram notificados 1.583 casos da doença. Deste total, 16% (255) foram confirmados para a influenza pandêmica no Brasil. A região Sudeste apresenta a maior proporção de casos notificados, com 41,1% (650). Entretanto, a região Norte apresenta a maior proporção de casos confirmados, 61,2% (156), indicando mais intensidade de circulação viral nesta região.

No ano passado, foram registrados 2.051 mortes em todo o país desde abril, quando começou a pandemia. Segundo o Ministério da Saúde, a campanha da vacinação contra o vírus H1N1, iniciada em 8 de março, imunizou 3,8 milhões de pessoas. A ideia é vacinar 72 milhões de brasileiros até maio. A incidência da gripe é maior nos meses de inverno.

Leia mais sobre gripe suína

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.