Tamanho do texto

Fabricante diz que a eficácia e o modo de agir do citrato de tamoxifeno seguem iguais

A Eurofarma começou a recolher na sexta-feira três lotes de medicamentos a base de tamoxifeno para tratamento do câncer de mama e útero por determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A venda dos produtos também foi suspensa há seis dias por apresentar “resultados insatisfatórios nos ensaios de dissolução da substância”.

Estão sendo retirados das farmácias os lotes 152.449 e 147.407 do genérico citrato de tamoxifeno - fabricados em dezembro de 2008 e válidos até dezembro deste ano - e o lote 143.226 do tamoxin, fabricado em outubro de 2008 e válido até outubro.

O Instituto Nacional do Câncer (Inca), do Ministério da Saúde, confirmou que o remédio está na lista de medicamentos de alto custo fornecidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS), mas não soube informar se os lotes com defeito foram para a rede pública.

Segundo o laboratório, o terceiro maior fabricante de genéricos do País, as amostras testadas mostraram que houve atraso na liberação do princípio ativo do remédio durante sua dissolução.

Em nota, a Eurofarma afirma que “o resultado (do teste) não compromete a eficácia do produto e seu modo de agir”. Ainda de acordo com o laboratório, a venda ocorreu entre 2008 e 2009.

As pacientes que tiverem dúvidas devem entrar em contato com o fabricante pelo telefone: 0800 704-3876, de segunda a sexta-feira, das 8 horas às 17 horas. As informações são do Jornal da Tarde.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.