Tamanho do texto

Metade não sabe se é ou não portador do vírus HIV

selo

Só quatro em cada dez brasileiros usam preservativos e metade não sabe se é ou não portador do vírus HIV. Os dados publicados dia 23 de novembro pela Organização das Nações Unidas (ONU) mostram que, se o Brasil é considerado um exemplo no combate à doença, há problemas na estratégia da prevenção.

A taxa de uso do preservativo - maneira considerada a mais eficiente na luta contra a doença - é de 43%, inferior à de países africanos, europeus e latino-americanos.

O governo lembra que entre 15 a 19 anos a taxa é de 76%, mas cai para um a cada três homens entre 25 e 49 anos. Hoje, o País destina menos de 10% de seu orçamento de US$ 623 milhões para a aids para a prevenção. O resto vai para a compra de remédios.

O coordenador da unidade de prevenção do departamento de DST Aids do Brasil, Ivo Brito, afirma que não é possível comparar dados nacionais do uso de preservativo com indicadores de países onde a aids é uma doença generalizada. Admite, no entanto, a queda do uso de camisinhas no País entre jovens. “Desde que tendência foi identificada, há dois anos, reforçamos políticas de prevenção, ampliando oferta do insumo." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.