Tamanho do texto

Até agora, era praticamente impossível descobrir o risco de um fumante desenvolver câncer de pulmão ou descobrir a doença em seus estágios iniciais

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de pulmão é o mais comum entre os tumores malignos. Em 90% dos casos, a doença está associada ao tabagismo. Porém, nem todos os fumantes e exfumantes desenvolvem esse tipo de câncer.  Atualmente, ele só é detectável com um raio-X do pulmão ou uma broncoscopia ¿ exame que proporciona a visualização direta de dentro do órgão. No entanto, com o novo teste genético, é possível identificar com antecedência  quais fumantes correm risco de desenvolver a doença e com isso, terem acompanhamento médico adequado.


Câncer de pulmão é o mais comum entre os tumores malignos e
está diretamente ligado ao consumo de cigarros (Foto: Getty Images)

A pesquisa, liderada pelo médico Avrum Spira, procurou descobrir os primeiros sinais de câncer de pulmão nas células da traquéia, examinando a forma como os diferentes genes se comportam no interior das vias aéreas superiores e como o organismo tenta se defender da fumaça. Com o estudo, o médico descobriu que algumas atividades genéticas na traquéia, que acontecem ainda antes da doença se manifestar, são exclusivas dos doentes de câncer.

Apesar da descoberta, o médico diz que ainda não é possível saber se todos os casos de câncer de pulmão podem ser previstos por este marcador genético. A perspectiva agora é que o teste abra caminho para novos remédios e tratamentos da doença.


O médico Avrum Spira, coordenador da pesquisa, faz uma broncoscopia para
avaliar o risco de câncer de pulmão em um participante do estudo (Foto: AP)

(Com informações da AP)

Leia mais sobre: Câncer

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.