ANS informou 18 novos procedimentos que serão incorporados obrigatoriamente pela assistência médica privada a partir de 2018

Entre as principais novidades oferecidas pelos planos de saúde são medicamentos para câncer, esclerose múltipla, e outros exames
shutterstock/Reprodução
Entre as principais novidades oferecidas pelos planos de saúde são medicamentos para câncer, esclerose múltipla, e outros exames

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) informou nesta terça-feira (7) quais serão os 18 novos procedimentos - entre exames, terapias e cirurgias que atendem diferentes especialidades - que terão cobertura garantida pelos planos de saúde a partir do dis 2 de janeiro de 2018.

Leia também: Envelhecimento da população deixará planos de saúde mais caros até 2030

Além disso, os planos de saúde também irão oferecer outros sete procedimentos, incluindo medicamentos orais contra o câncer e uma droga utilizada no tratamento de esclerose múltipla, que está sendo incorporada no Rol pela primeira vez.

De acordo com a ANS, no ano que vem, mais de 42,5 milhões de pessoas que possuem assistência médica terão direito aos novos benefícios, garantido para todos os planos de saúde contratados a partir da entrada em vigor da Lei nº 9.656/98, os chamados planos novos, ou aqueles que foram adaptados à lei. As empresas que não cumprirem a cobertura estará sujeito à multa de R$ 80 mil por cada infração.

Confira as principais novidades incorporadas aos planos de saúde

Câncer

  • 8 medicamentos orais para tratamento de cânceres - pulmão, melanoma, próstata, tumores neuroendócrinos, mielofibrose e leucemia (afatinibe, crizotinibe, dabrafenibe, enzalutamida, everolimo, ruxolitinibe, ibrutinibe e tramatinibe);

  • 1 Tomografia Computadorizada por Emissão de Pósitrons (PET-CT) para diagnóstico de tumores neuroendócrinos.

Esclerose múltipla

  • Medicamento imunobiológico (natalizumabe).

Olhos

  • Quimioterapia com antiangiogênico e tomografia de coerência ótica para tratamento do edema macular secundário, retinopatia diabética, oclusão de veia central da retina e oclusão de ramo de veia central da retina;
  • Radiação para tratamento de ceratocone.

Leia também: Regras da ANS para pedido de cancelamento de plano de saúde passam a valer hoje

Mulheres

  • Cirurgia laparoscópica para tratamento de câncer de ovário (debulking);
  • Cirurgia laparoscópica para restaurar o suporte pélvico (prolapso de cúpula vaginal);
  • Cirurgia laparoscópica para desobstrução das tubas uterinas;
  • Cirurgia laparoscópica para restaurar a permeabilidade das tubas uterinas.
  • Pesquisa em líquido amniótico por PCR: exame laboratorial para o diagnóstico da toxoplasmose gestacional.

Crianças

  • Endoscopia para tratamento do refluxo vesicoureteral, doença relacionada a infecções urinárias;
  • Terapia imunoprofilática contra vírus sincicial respiratório (palivizumabe).

Confira todos os 18 procedimentos clicando aqui.

Para a diretora de Normas e Habilitação de Produtos da ANS, Karla Coelho, a atualização do Rol - que é feita a cada dois anos - é um avanço importante para os beneficiários.  "Os procedimentos incorporados são aqueles nos quais os ganhos coletivos e os resultados clínicos são mais relevantes para os pacientes. Todavia, é importante ressaltar que a inclusão de tecnologias é sempre precedida de avaliação criteriosa, alinhada com a política nacional de saúde, e contempla, além das evidências científicas, a necessidade social e a disponibilidade de recursos", ressalta.

Sobre o custo com as novidades, a agência informou que vai avaliar o impacto financeiro no cálculo do reajuste das mensalidades do ano seguinte.

Leia também: Para ministro, planos de saúde populares podem aliviar gastos com o SUS


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.