Tamanho do texto

Hipertricose é causada pelo excesso de hormônios masculinos, e ao todo, afeta 100 pessoas no mundo; métodos de tratamento ainda são escassos

Larry Gomez diz que Hipertricose começou ainda na infância, período em qu foi vítima de comentários maldosos
Reprodução/Twitter
Larry Gomez diz que Hipertricose começou ainda na infância, período em qu foi vítima de comentários maldosos

Com 98% do corpo coberto por pelos, Larry Gomez diz hoje se orgulhar de ser conhecido como  "o  lobisomem ". Nascido com o transtorno raro chamado hipertricose, Larry, cujo nome verdadeiro é Victor, é da cidade de San Bernardino, no estado americano da Califórnia, e descobriu a mutação genética ainda na infância.

Leia também: Brasil registrou 98 mortes por febre amarela desde julho, segundo ministério

Apesar de raro, Larry relata que o distúrbio também afeta três outros membros de sua família. Segundo ele, quando criança, sofria muito pelos comentários maldosos e era vítima de  bullying .  Entretanto, aprendeu a conviver com a Hipertricose , que afeta menos de 100 pessoas em todo o mundo e aproveitar seu título de homem ‘mais cabeludo’ para construir sua carreira no meio artístico.

Larry conta ao Daily Mail que, após a aceitação, encontrou o amor e se casou com Alicia Martinez, que conheceu quando procurava um apartamento, em 2011. O americano afirma querer usar sua história de vida para inspirar outras pessoas com a mutação a resgatar a autoestima e a confiança.

O cineasta Travis Hoefle alega ter saído de Chicago para se encontrar com Larry, já que tem se transformado em uma figura icônica nos Estados Unidos. “Essa condição está em cinco gerações da família de Larry. As mulheres têm camadas suaves de cabelo, enquanto os homens têm pelos extremamente grossos, que cobrem seus rostos, pés e mãos. Larry agora se aceita, e tem se mostrado um grande exemplo de positividade e carisma”, ressalta.

Leia também: Homem sofre hemorragia cerebral após tomar 25 latas de energético em seis horas

O distúrbio e tratamentos

O rapaz conta detalhes sobre o distúrbio. Por exemplo, ele já trabalhou em um circo e diz que, geralmente, apara o cabelo uma vez ao mês. Vale mencionar que a hipertricose se dá em qualquer parte do corpo e é causada pelo excesso de hormônios masculinos.

Rapaz conta que já trabalhou em um circo, e que geralmente apara o cabelo que cresce desenfreadamente uma vez ao mês
Reprodução/Twitter
Rapaz conta que já trabalhou em um circo, e que geralmente apara o cabelo que cresce desenfreadamente uma vez ao mês

Atualmente, as opções de tratamento são limitadas, já que nenhum método único de depilação é apropriado para todos os locais do corpo ou para todos os pacientes, sendo necessário avaliações aprofundadas que levam em conta a faixa etária do paciente.

Leia também: 'Me sentia um zumbi', conta homem atacado por "bactéria devoradora de carne"

Segundo o Jornal Americano de Dermatologia Clínica, depilatórios químicos e procedimentos como depilação eletrocirúrgica e a laser têm sido as mais eficazes no tratamento da hipertricose e na remoção de cabelo a longo prazo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.