Bem-Estar

enhanced by Google
 

Ginkgo biloba

Compartilhar:

Nome científico

Ginkgo biloba L.

Nomes alternativos

Ginkgo, nogueira-do-japão, ginkgoácea.

Foto: Getty Images Ampliar

Ginkgo biloba (folha)

Descrição

Originária da Ásia, é uma das plantas mais conhecidas em todo o mundo. Além de estar presente de forma ornamental nas grandes cidades por sua resistência à poluição e outros agressores ambientais, há registros mostrando que vem sendo usada como medicamento desde 2600 a.C.

A árvore pode atingir 35m de altura e suas folhas verdes em formato de pequenos leques ficam amarelas no outono. As sementes são amarelas quando maduras e emitem um odor desagradável. Uma árvore de Ginkgo pode viver mais de mil anos e alguns exemplares sobreviveram à explosão da bomba atômica de Hiroshima em 1945 no Japão.

Parte utilizada

Folhas.

Uso medicinal

É indicada no tratamento sintomático de insuficiência cerebrovascular (vertigens, dor de cabeça, zumbidos, perda de memória, dificuldade de concentração, depressão emocional), comprometimento da microcirculação (doença de Raynaud, parestesias, formigamentos), problemas do ouvido interno e vertigem de origem vascular.

Modos de uso

Chá das folhas, cápsulas, comprimidos, extratos e na produção de fitoterápicos como Binko, Bioflavin, Clibium, Dinaton, Equitam, Fito Biloba, Ginbiloba, Gincobem, Gincolin, Ginkan, Gingkomenil, Tanakan, Tebiloba, Tebonin e Tekasan.

Cuidados e contraindicações

Deve ser usado com cuidado por pacientes tomando anticoagulantes, ibuprofeno ou outras plantas como alho, gengibre e salgueiro. O consumo de folhas frescas deve ser evitado, pois podem conter substâncias que causam forte alergia, mas que são removidas durante os processos industriais ou de manipulação.

Efeitos colaterais

Dor de cabeça, desconforto abdominal ou alergias de pele.

Todas as plantas
Ver de novo