Tamanho do texto

Avaliação ocular é mais barata, não invasiva e pode ajudar comunidade médica a tratar uma das doenças mais debilitantes do mundo e sem cura

Cientistas acreditam que, antes de qualquer sintoma aparecer, pacientes apresentam alterações no fundo dos olhos
Pedro Ventura/ Agência Brasilía
Cientistas acreditam que, antes de qualquer sintoma aparecer, pacientes apresentam alterações no fundo dos olhos

Pesquisadores de uma universidade britânica concluíram um estudo considerado animador por neurologistas: testes em ratos mostraram que um exame de vista simples pode vir a detectar a doença de Parkinson em um paciente antes mesmo de os primeiros sintomas se manifestarem.

Segundo a professora e pesquisadora-chefe do estudo Francesca Cordeiro, da University College London, roedores que ainda não tinham nenhum sintoma da doença passaram pelo exame e apresentaram alterações no fundo dos olhos.

LEIA MAIS: Com ouro na vela, Martine Grael é 1ª campeã olímpica brasileira a repetir feito de um de seus pais

LEIA MAIS: Impedir barulho e vaias da torcida é imperialismo cultural, diz sociólogo americano

Ela afirmou que o método é barato e não invasivo e que "é potencialmente uma descoberta revolucionária no que diz respeito a diagnósticos rápidos e tratamento no início de uma das doenças mais debilitantes do mundo".

"Com isso, talvez possamos intervir muito mais cedo e tratar de uma maneira mais eficiente pessoas com essa doença devastadora."

Atualmente, não há exames de imagem ou de sangue que concluam um diagnóstico de Parkinson.

"Passo significante"

Arthur Roach, diretor de pesquisa da ONG Parkison's UK, disse que há uma "necessidade urgente de um método simples e preciso para se detectar essa doença, principalmente nos primeiros estágios".

"Apesar de a pesquisa ainda estar em seu estágio inicial e precisar ser testada em pessoas com Parkinson, um testes simples e não invasivo, exatamente como um exame de vista, poderia ser um passo significativo no tratamento da doença."

Os pesquisadores disseram ainda que o método pode ser usado também para avaliar como os pacientes estão respondendo ao tratamento. O estudo foi divulgado na publicação Acta Neuropathologica Communications.

Os sintomas de Parkinson - que incluem tremores, rigidez muscular, lentidão nos movimentos e qualidade de vida prejudicada - geralmente surgem após as células cerebrais já terem sido danificadas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.