Tamanho do texto

Policiais vão receber 200 crianças do Instituto de Tratamento do Câncer Infantil em festa que vai contar com cães, videogames e até super-heróis

O ano de 2016 deve registrar 12,6 mil casos de câncer infantil, segundo estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca). Sem levar em conta que estes pacientes podem ser mais frágeis, o tratamento, muitas vezes, acaba sendo tão agressivo quanto o de um adulto. Por conta disso, a Ação Solidária Contra o Câncer Infantil, em uma parceria com o Instituto de Tratamento do Câncer Infantil (Itaci), ligado ao Hospital das Clínicas de São Paulo, e o Batalhão de Choque da Polícia Militar do Estado, vai realizar um verdadeiro dia de festa para os pequenos.

Leia mais: Grafiteiros pintam muros de quartéis do Batalhão de Choque da PM

Festa do Combate ao Câncer Infantil do Itaci em parceria com o Batalhão de Choque ocorre todos os anos desde 2008
Divulgação
Festa do Combate ao Câncer Infantil do Itaci em parceria com o Batalhão de Choque ocorre todos os anos desde 2008

Até mesmo o “Capitão América”, ao lado de outros super-heróis, vai participar do evento que receberá 200 pacientes do Itaci no 2° Batalhão de Choque da PM (2º BPChq), na região da Luz, no dia 19 de novembro. As crianças vão poder brincar com palhaços e jogos de videogame, interagir com cães terapeutas, assistir apresentações de moto da Rocam (Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas) e tirar fotos com cavalos.

Leia também: Batalhão de Choque do Estado de São Paulo defende a democracia

Os pais ou responsáveis das crianças também poderão participar do evento. Como no dia 19 também é celebrado o Dia da Bandeira, as crianças vão participar de uma cerimônia especial devido à comemoração. Os pacientes escolhidos pela equipe médica do Itaci representam aqueles que, mesmo em tratamento, têm condições de deixar o hospital.

Dia de Combate ao Câncer

“Pessoas que trabalham no Itaci dizem que essas crianças esperam o ano todo só para esse evento, que já ocorre há alguns anos. O objetivo do Batalhão de Choque é mostrar que a polícia está com a sociedade. É o que a PM faz como polícia comunitária”, afirmou Capitão Maggio, oficial de Comunicação Social do 2º BPChq. “Vamos oferecer um dia de criança mesmo para esse paciente do hospital.”

Câncer no País

O problema já representa a primeira causa de morte por doença entre crianças e adolescentes de um a 19 anos no Brasil, segundo o Inca. No próximo ano, outros 12,6 mil casos devem ser registrados, segundo que a incidência é maior nas regiões sudeste e nordeste.

LEIA MAIS:  Quase metade dos brasileiros não sabe que o diabetes pode cegar

Felizmente, em torno de 70% dos pacientes de câncer infantil podem ser curados se diagnosticados precocemente. Por outro lado, o número de crianças que acabam perdendo a vida precocemente por conta da doença ainda é grande. A ação do Batalhão de Choque da PM visa trazer alegria para esses pacientes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.