Tamanho do texto

Johanna Watkins precisa viver isolada em sua casa no Estado de Minnesota para não desenvolver sintomas graves de síndrome, como choque anafilático

Apenas os irmãos podem se aproximar de Johanna sem que a americana manifeste os sintomas graves da alergia
YouTube/ Reprodução
Apenas os irmãos podem se aproximar de Johanna sem que a americana manifeste os sintomas graves da alergia

Scott and Johanna Watkins são um jovem casal apaixonado. Eles se casaram há pouco tempo, mas, infelizmente, precisam viver em quartos separados na casa onde vivem em Minnesota, nos Estados Unidos. O problema é que Johanna tem alergia a praticamente tudo , inclusive o marido.

“Eu não posso chegar muito perto. Não posso abraçá-la com segurança. Não posso abraçar sem machucá-la”, afirmou Scott em entrevista à Fox News regional.  A alergia de Johanna se manifesta quando ela entra em contato com alguns alimentos e produtos, o ambiente externo, poeira e centenas de outras coisas, até mesmo o cheiro das pessoas.

Apenas seus irmãos conseguem se aproximar da jovem sem que ela passe mal. Johanna vive isolada em um quarto com janelas seladas e purificadores de ar. É Scott quem cozinha os poucos alimentos que ela pode comer. Os dois vivem na casa de amigos que decidiram ajudar o casal.

Síndrome de ativação de mastócitos

Depois de dezenas de diagnósticos imprecisos, Dr. Lawrence Afrin, da Universidade de Minnesota, descobriu que a americana sofria de síndrome de ativação de mastócitos. Estas células já existem no nosso organismo e liberam substâncias químicas alertando ao nosso sistema imunológico que é hora de reagir a algo.

LEIA MAIS:  Casal celebra nascimento de bebê 'surpresa' após morte de gêmeo

Porém, no caso de Johanna, isto ocorre nos lugares e horas erradas.  Como o primeiro diagnóstico da síndrome só foi feito há nove anos, ainda não há muitas pesquisas sobre o assunto. Apesar disso, já é sabido que os sintomas envolvem erupções cutâneas, inflamação, dores nos ossos e desmaios, além de anafilaxia. Por conta disso, a doença pode acabar matando o paciente.

Dia a dia

Johanna passa os dias lendo, rezando e conversando com amigos e familiares pela internet. Por dois anos, tentou tratamento com medicamentos, mas sem sucesso. A última tentativa foi uma quimioterapia, que também não foi suficiente para reverter o quadro.

Mesmo Johanna tendo alergia ao próprio marido, isto não fez com que o casal se separasse
Facebook/ Scott Watkins/ Reprodução
Mesmo Johanna tendo alergia ao próprio marido, isto não fez com que o casal se separasse

As saídas para as consultas médicas precisam ser rápidas, já que logo que a porta de seu quarto abre, a jovem já passa a sentir os sintomas da síndrome.

LEIA MAIS:  Seus cabelos estão caindo? Saiba quando você deve se preocupar

Os amigos Dan e Lucy Olson, que acolheram o casal, já não conseguem mais cozinhar em casa por conta do cheiro dos alimentos, que também causam alergia na jovem. Por conta disso e outros problemas relacionados à doença, Scott procura um novo local para ficar.

Ele e a mulher criaram uma campanha de financiamento coletivo no site GoFundMe para conseguir montar um ambiente seguro, contra a alergia e definitivo para Johanna.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.