Tamanho do texto

Além de explicar sobre quais as funções de cada método contraceptivo, campanha também incentiva que decisão de quais usar deve ser feita a dois

Campanha incentiva que decisão por quais métodos devem ser usados deve ser feita a dois
Pixabay
Campanha incentiva que decisão por quais métodos devem ser usados deve ser feita a dois

Para promover o diálogo entre os médicos, as pacientes e os seus parceiros para a escolha do método contraceptivo mais indicado de acordo com cada perfil, foi criada nesta quinta-feira (23) a campanha #VamosDecidirJuntos, uma iniciativa da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo).

Leia também: Como anos de pílula anticoncepcional me trouxeram depressão e ataques de pânico

A federação acredita que o diálogo trará mais segurança e informações claras para a mulher que utiliza métodos  contraceptivos , aumentando o nível de eficácia e reduzindo efeitos colaterais.

Segundo o ginecologista e presidente da Febrasgo, César Eduardo Fernandes, a campanha pretende levar a discussão também para o casal e incentivar o diálogo aberto e transparente sobre a contracepção. “Os homens costumam achar que esse é um problema feminino e não é. É uma decisão que deve ser do casal, por isso precisamos conscientizá-lo para que esteja junto”, frisou. Para ele, o médico é importante para dar esclarecimentos quanto à medicação, embora a escolha seja somente da mulher. “A paciente é soberana em sua decisão, o médico é apenas o consultor”.

Leia também: Campanha de vacinação contra gripe será em abril; veja se você pode participar

Estimativas indicam que, no Brasil, 22,1% das mulheres adotam a pílula anticoncepcional como método para prevenir a gravidez, seguindo-se o preservativo masculino (12,9%), injeção contraceptiva (3,5%) e dispositivo intrauterino – DIU (1,5%). Os métodos tradicionais (comportamentais), como a tabelinha e o coito interrompido somam 2,4%.

Outro ponto que a campanha deseja atingir é a conscientização sobre quais são os métodos contraceptivos existente e como funcionam. “Lamentavelmente, somos obrigados a fazer uma consulta curta e não é possível falar sobre tudo, então a campanha vai alavancar a divulgação [de todos os métodos]”, declara o ginecologista.

A campanha conta com um portal (https://www.vamosdecidirjuntos.com.br/) com informações seguras e baseadas em orientações médicas, vídeos com especialistas, textos e artigos sobre o tema. Há ainda um espaço para esclarecimento de dúvidas sobre os métodos contraceptivos. O objetivo é ampliar a discussão sobre a contracepção, os métodos mais indicados em cada perfil e cada momento da vida. A ideia é estimular a mulher a fazer uma reflexão sobre sua vida sexual, seu momento de vida e sua saúde para que leve os questionamentos ao médico.

Leia também: Câncer raro mata nove pessoas com proteses de silicone

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.