Tamanho do texto

Após Secretaria de Saúde da Bahia confirmar mortes de quatro macacos por febre amarela na cidade, Salvador irá enviar doses extras para a população

Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) liberou nesta quarta-feira (29), cerca de 400 mil doses extras de vacina contra a febre amarela em Salvador, para as pessoas que não têm as duas doses registradas no cartão de vacinação. A atitude foi em decorrência da confirmação da doença em quatro macacos encontrados na capital.  

De acordo com o órgão, será necessária a imunização de 1,7 milhão de pessoas em Salvador.

Leia também: Europa registra surto de sarampo após confirmação de 500 casos

Após quatro macacos infectados, Salvador libera 400 mil doses de vacina contra febre amarela à população
Alex de Jesus / O Tempo
Após quatro macacos infectados, Salvador libera 400 mil doses de vacina contra febre amarela à população

Mesmo sem nenhum caso de febre amarela confirmado em humanos na Bahia, a secretaria já havia alertado que em animais, a doença já foi registrada. O ocorrido aconteceu na cidade de Alagoinhas, onde também foram entregues doses de vacinas extras para a população. A secretaria lembra que quem foi imunizado nos últimos dez anos está com a proteção em dia.

Investigação

O órgão estadual registrou, até terça-feira (28), 16 casos suspeitos de febre amarela em oito municípios. Sete deles foram descartados após exames laboratoriais e nove casos continuam sendo investigados. Nos macacos, foram 104 notificações, em 42 cidades baianas, com 23 confirmações das doenças em primatas não humanos.

Leia também: Tecnologia ajuda tetraplégicos a mexerem o braço com a força do pensamento

Capital

Com as distribuições, a prefeitura de Salvador se manifestou e anunciou medidas de intensificação das vacinas na capital. Segundo o secretário municipal de Saúde, José Antônio Alves, ao longo das próximas semanas, os 136 postos de Salvador terão campanha mais forte para que a imunização surta efeito na cidade.

“Estamos fazendo vacinação maciça no distrito sanitário de Brotas e todos os bairros que compõem a área de Brotas. Os 19 pontos de vacinação da cidade não passarão mais a cobrar a comprovação de viagem para as pessoas que precisam se vacinar”, disse Alves.

“Ao longo das próximas semanas, vamos estender o processo de vacinação em toda a cidade. Importante destacar que detectamos a presença do vírus nesses animais e não existe nenhuma notificação ou suspeita de caso humano em Salvador”, destacou o secretário municipal de Saúde.

Transmissão

A morte dos macacos não é sinônimo de pânico, já que o macaco não é transmissor da febre amarela.  A morte dos animais serve, apenas, para que fique um alerta sobre a incidência da doença na região, o que pode acarretar em ações dos governos para evitar epidemias.

A transmissão pode acontecer de duas formas: a urbana e a silvestre. Sendo esta última a que está se manifestando no Brasil. Até o momento, não foram registradas transmissões urbanas, o que significa que os casos de infecção  estão acontecendo apenas em regiões rurais ou de mata. Dessa forma, os transmissores são os mosquitos Haemagogus ou Sabethes, e não os macacos. 

*Com informações da Agência Brasil

Leia também: Enfermeiras são demitidas após dançarem durante procedimento cirurgico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.