Tamanho do texto

Sofrendo com dores abdominais há mais de dez anos, a chinesa Chen, de 45 anos, sabia do problema, mas preferiu adiar a cirurgia por ter medo do bisturi

Segundo os médicos que operaram a chinesa, essas pedras são formadas quando não tomamos café da manhã
Reprodução/Guangji Hospital
Segundo os médicos que operaram a chinesa, essas pedras são formadas quando não tomamos café da manhã


Os médicos do Hospital Guangji, na China, foram surpreendidos quando uma mulher, sentindo fortes dores na região abdominal, deu entrada no pronto-socorro e precisou ser operada às pressas. Isso porque ela tinha centenas de pedras dentro de seu corpo, e todas precisaram ser retiradas imediatamente.

Leia também: Não era só gripe: mulher vai a hospital e descobre pedra de quase 1 kg na bexiga

Em uma cirurgia que durou mais de seis horas, os cirurgiões trabalharam para remover todos os “intrusos” que estavam no fígado e na vesícula biliar da paciente, em procedimento que foi considerado um sucesso. Mais de 200 pedras foram encontradas, e algumas delas eram tão grandes quanto ovos de galinha.

A condição da mulher, entretanto, não pode ser considerada uma surpresa. Identificada como Chen, de 45 anos, ela sofria com dores abdominais há mais de uma década, e ciente de sua doença, a chinesa preferiu ignorar as indicações médicas porque tinha medo de ser operada.

Leia também: Em 20% dos casos, pedra no rim pode levar à perda do órgão

Por que os cálculos foram formados?

Segundo o portal “Mirror”, os médicos explicaram que pular o café da manhã , uma refeição essencial, pode ocasionar vários problemas, dentre eles, a criação de cálculos no fígado e na vesícula biliar.

O cirurgião Quan Xuwei, responsável pelos procedimentos de Chen, contou que a não-ingestão de alimentos no período da manhã faz com que a bile, produzida no fígado e armazenada na vesícula biliar, inicie um processo de calcificação.

Chen, por exemplo, não tomava um café da manhã há décadas, e de acordo com o mesmo site, seus hábitos podem provocar – além de centenas de cálculos – níveis elevados de cálcio e colesterol alto .

Na China, a mulher foi operada e todas as pedras foram retiradas de seu corpo
Reprodução/Guangji Hospital
Na China, a mulher foi operada e todas as pedras foram retiradas de seu corpo





Cálculos biliares, segundo o Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra (NHS), são pequenas formações que, na maioria dos casos, não apresentam sintomas nem precisam de intervenções médicas. Comuns em mulheres com mais de 40 anos, elas podem ser evitadas com hábitos alimentares adequados.

As pedras só se tornam um problema quando ficam presas no ducto biliar, situação que pode levar a grandes episódios de dor, febre e icterícia.

Leia também: Os perigos ocultos da ingestão de suplementos de proteína

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.