Tamanho do texto

Por querer ter dois centímetros a mais no órgão, homem acaba sofrendo complicações na operação e não resiste; entenda os riscos da técnica

Vale tudo para atingir o padrão? Cirurgia para aumentar o pênis pode trazer mais complicações para pacientes
shutterstock/Reprodução
Vale tudo para atingir o padrão? Cirurgia para aumentar o pênis pode trazer mais complicações para pacientes

A cada dia o padrão estético se torna ainda mais cruel. Mesmo com campanhas sobre aceitação e desconstrução de regras sobre o que é bonito e feio, certo e errado, a sociedade parece estar obcecada em atingir metas criadas por estereótipos de beleza “ideais” - que mais parecem ser “irreais”.

Leia também: Depois de uma ereção de dois dias, homem precisou de cirurgia e acabou impotente

Depois da febre do silicone usado para aumentar os seios femininos, os homens também estão recorrendo às mesas de cirurgia para fazer o alargamento de pênis . Só em 2014, mais de 15 mil procedimentos foram feitos no mundo todo.

Mas será que o tamanho do órgão realmente importa? Segundo especialistas, a prática pode colocar muitos aspectos em risco, incluindo a própria vida do paciente.

Pelo menos foi isso o que aconteceu com um homem de 30 anos, na Suécia. Ao optar pelo tratamento, o sueco pretendia aumentar a espessura e o comprimento do seu órgão genital fazendo uma cirurgia onde a gordura do seu estômago é retirada e transferida para o membro.

Como se tratava de dois objetivos diferentes, os cirurgiões plásticos primeiro realizaram o alongamento, que consiste em fazer uma incisão para afrouxar um ligamento na base do pênis, para depois começar o alargamento.  

No entanto, antes de terminar a injeção de gordura a ser aplicada, o coração do paciente começou a acelerar, seus níveis de oxigênio e sua pressão sanguínea caíram, resultando em um ataque cardíaco, conforme relatou o Journal of Forensic Sciences.

Mesmo depois de realizarem todos os procedimentos de emergência para recuperar o paciente, o homem não resistiu e morreu menos de duas horas depois.

Segundo a equipe médica, o paciente, que sofria de asma leve, não tinha nenhum outro histórico que não o reconhecesse como saudável. De acordo com os autores do relatório sobre o ocorrido, ele morreu de uma embolia gordurosa.

Isso ocorre quando o tecido adiposo passa para a corrente sanguínea e se aloja dentro dos vasos sanguíneos do pulmão e outros locais, resultando em insuficiência respiratória.

Ainda assim, o artigo afirma que "o alongamento e o alargamento do pênis são considerados procedimentos simples e seguros", mas adverte que as complicações podem ser maiores quando ambos são combinados.

Leia também: Prevenção de câncer de pênis merece atenção

Riscos

Embora esta seja a primeira morte relatada por este tipo de cirurgia, os especialistas dizem que muitas vezes a técnica pode levar a outros problemas.

"É um procedimento completamente inútil, que nunca funciona, desfigura os homens e pode matá-lo", disse o urologista Tobias Kohler, da Clínica Mayo em Rochester, Minnesota, para a BuzzFeed News.

"Este é o pior caso, mas há muitas outras consequências horríveis, desde a desfiguração até a disfunção erétil permanente", completou ele.

Além disso, há também o alerta de que os riscos não valem a pena e os resultados são muitas vezes decepcionantes.

O consultor de medicina sexual, professor Kevan Wylie, disse que as análises que acompanharam homens que fizeram essa operação durante um longo período de tempo sugerem resultados decepcionantes, com complicações que incluem desfiguração, cicatrização, proliferação e infecção.

"O problema com a injeção de gordura é que, ao longo do tempo, o corpo irá reabsorver a gordura, o que pode resultar em um retorno ao tamanho original do órgão".

Insatisfação

Ele acrescenta que os alargamentos de pênis podem resultar em um ganho médio de comprimento para o membro de 2 cm, quando flácido, mas não haverá alteração no tamanho do pênis ereto.

Outro problema é que, ao fazer a cirurgia, quando o membro estiver ereto, ele não apontará tão alto quanto antes, porque o ligamento que foi cortado já não oferece suporte.

"Muitos homens que optam por este tratamento realmente não apreciam essa perda de ângulo", diz Wylie.

"Pode tornar o sexo bastante desconfortável. Você deve fazer muito mais manobras com seu parceiro. A vantagem de um ganho de 2 cm em comprimento flácido é muito compensada pela perda de ângulo de montagem”, avaliou o professor.

Leia também: Finalmente: homem que ficou 17 anos sem o pênis recebe transplante de membro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.