Tamanho do texto

Com tosses persistentes e um constante mal-estar, o homem britânico decidiu procurar ajuda médica: foi quando ele descobriu o brinquedo

Preocupado com a suspeita do câncer, o homem descobriu que o tumor era, na verdade, um brinquedo
Reprodução/BMJ
Preocupado com a suspeita do câncer, o homem descobriu que o tumor era, na verdade, um brinquedo


Um britânico de 47 anos decidiu procurar ajuda especializada quando percebeu que seu mal-estar e tosse constantes, persistentes por mais de um ano, poderiam ser sinais de um sério problema de saúde. Depois de se consultar com um médico, a principal hipótese levantada era a de que ele estaria com câncer. Contudo, após exames e o estudo aprofundado de seu caso, chegou-se à conclusão de que, na realidade, os sintomas surpreendentemente indicavam a presença de um brinquedo dentro de seu pulmão.

Leia também: Assustador! Mulher tromba em fogão e contrai bactéria que "devora" seu rosto

Morador da cidade de Preston, no Reino Unido, o britânico passou por uma série de exames de imagem – como raios-x – que revelaram uma massa em seu pulmão. Em seguida, os médicos performaram uma broncoscopia, que deveria ajudar no diagnóstico oncológico, mas  durante o procedimento, perceberam que o suposto tumor, na realidade, era um pequeno brinquedo .   

Inalado há 40 anos, o cone de trânsito da linha de brinquedos Playmobil fazia parte de um presente que o homem, cujo nome não foi divulgado, ganhou em seu aniversário de sete anos. Aspirada pouco tempo depois da comemoração, a peça de plástico tinha cerca de um centímetro de comprimento e foi retirada com a ajuda de um fórceps.

O brinquedo inalado pelo homem é um pequeno cone de Playmobil, que ficou alojado em seu pulmão por 40 anos
Reprodução/BMJ
O brinquedo inalado pelo homem é um pequeno cone de Playmobil, que ficou alojado em seu pulmão por 40 anos


Leia também: Nos EUA, 25% dos pacientes com câncer usam maconha como complemento terapêutico

Um problema comum entre as crianças

Por mais que o caso seja surpreendente, crianças inalam e engolem pequenos objetos com grande frequência. Entretanto, os médicos explicaram, de acordo com o The Guardian , que este foi o primeiro caso documentado de um objeto estranho alojado por tanto tempo no pulmão de uma pessoa.

“Provavelmente, isso aconteceu porque o objeto foi inalado quando o paciente era muito novo, e assim, suas vias aéreas foram capazes de se remodelar para se adaptar ao corpo estranho”, um relatório da BJM Case Reports.

Leia também: Mulher com barriga gigante pede ajuda nas redes sociais para saber o que tem

“Olhando pelo lado positivo, os sintomas praticamente desapareceram, e ele finalmente encontrou seu brinquedo do Playmobil , perdido há muitos anos, esondido no último lugar em que ele poderia procurar”, declararam os médicos no mesmo relatório.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.