Tamanho do texto

O caso de Cade Huckabay chamou a atenção para o uso do protetor solar, que pode ajudar a prevenir o câncer de pele, o tipo mais incidente no Brasil

Cade Huckabay ficou com buraco na testa
Reprodução/Twitter Cade Huckabay
Cade Huckabay ficou com buraco na testa

O americano Cade Huckabay, morador do estado do Texas, ficou com um buraco do tamanho de uma bola de golfe na testa após tomar sol durante 14 horas seguidas. O jovem publicou algumas imagens em sua conta do Twitter e explicou: “uma vez eu raspei minha cabeça, fiquei com queimaduras solares e só um pouco inchado”.

Leia também: Bêbado, homem chega ao hospital com enguia dentro do ânus e precisa ser operado

De acordo com o portal britânico Daily Mail , o “amassado” em sua cabeça apareceu em Huckabay por conta de uma queimadura de primeiro grau, causada pelo longo período de exposição ao sol sem uso de proteção adequada.

A inflamação gerou um acúmulo de fluidos na testa, e quando o jovem pressionava a região, fazia com que eles se movimentassem, o que resultou em uma espécie de buraco.

“Em alguns casos, uma grave queimadura solar pode causar uma inflamação tão grande que a pele fica inchada, fenômeno conhecido como edema ”, explicou o dermatologista Joshua Zeichner para o portal. “Dependendo da quantidade de fluidos acumulados, você pode ser capaz de ‘empurrá-los’ com seu dedo, criando o que parece uma cavidade na pele”.




Leia também: Mulher com câncer de pele mostra como tumor "devorou" seu rosto

Dezembro Laranja

Por mais que este caso tenha acontecido nos Estados Unidos, o problema da falta de cuidado com a saúde da pele é algo muito preocupante no Brasil. Segundo o Ministério da Saúde, o câncer de pele é o mais incidente em nosso País, com cerca de 181 mil novos casos por ano. Neste mês, inclusive, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) organiza a campanha Dezembro Laranja pela prevenção e diagnóstico do câncer de pele. 

De acordo com o Ministério da Saúde, os três tipos de câncer mais comuns são o carcinoma espinocelular, o carninoma basocelular e o melanoma, o mais grave dos três. Os dois primeiros dependem mais da exposição solar, e por isso, são mais comuns na população adulta. O melanoma, por outro lado, também pode ser causado pela exposição, mas ele depende de fatores genéticos e afeta recém-nascidos, crianças, jovens, adultos e idosos.

Algumas cicatrizes mais profundas, pintas que sangram, mudaram de cor ou cresceram podem ser indicativos da doença, que possui grandes chances de cura se for descoberta e tratada de forma precoce.

Leia também: Nos EUA, cabeleireiros são ensinados a detectar câncer de pele em seus clientes

As principais recomendações da SBD são para o uso de óculos escuros, chapéus de abas largas, roupas que cubram boa parte do corpo e o uso de protetores solares com fator de proteção (FPS) 30, no mínimo. Além disso, é importante tentar não se expor ao sol entre as 10h e às 16h, horários de maior insolação, e sempre se lembrar que independente da tonalidade da pele, todos precisam se prevenir.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.