Tamanho do texto

A indiana Huma Bai consultou diversos especialistas antes de ser operada, porém, nenhum deles conduziu uma ultrassonografia para investigar as dores


Anatomia da vesícula biliar
ADAM
Anatomia da vesícula biliar

Médicos de Madhya Pradesh, na Índia, removeram 148 pedras na vesícula de uma mulher que sofria com dores abdominais há cerca de um ano. De acordo com o Daily Mail , a indiana identificada como Huma Bai passou por uma cirurgia de uma hora e meia para que todas as pedras fossem retiradas.

Leia também: Comer 3 maçãs ou 2 tomates ao dia ajuda a restaurar pulmões de ex-fumantes

A mulher foi admitida no hospital Jeevan Jyoti dia 8 de dezembro, quando suas dores levantaram a suspeita de pedras na vesícula , e os especialistas decidiram investigar. Diversos exames, entre eles coleta de sangue e uma ultrassonografia, foram realizados e revelaram a origem das dores de Bai.

Os médicos, porém, só descobriram que o número de pedras era de quase 150 durante a cirurgia, quando cada uma delas foi retirada individualmente. “Elas têm entre quatro e seis centímetros. Nós planejamos enviá-las para uma análise mais detalhada”, disse o Dr. Markus Damor, que liderou o procedimento.



O cirurgião ainda declarou que esta não foi a primeira vez que a mulher procurou ajuda médica. “Ela disse que já foi a vários médicos durante o último ano, mas nenhum deles conduziu um ultrassom”. O especialista ainda explicou que, provavelmente, as pedras foram desenvolvidas por causa da dieta gordurosa da paciente.

Não há informações sobre o atual estado de saúde da indiana e se ela já recebeu alta médica

Pedras no fígado

Em um caso parecido, uma mulher precisou ser operada para retirar mais de  200 pedras de seu fígado. A operação durou mais de seis horas em julho deste ano, e os cirurgiões trabalharam para remover todos os “intrusos” que estavam no fígado e na vesícula biliar da paciente, em procedimento que foi considerado um sucesso.

Mais de 200 pedras foram encontradas, e algumas delas eram tão grandes quanto ovos de galinha.

A condição da mulher, entretanto, não foi considerada uma surpresa. Identificada como Chen, de 45 anos, ela sofria com dores abdominais há mais de uma década, e ciente de sua doença, a chinesa preferiu ignorar as indicações médicas porque tinha medo de ser operada.

Por que os cálculos são formados?

Segundo o Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra (NHS), cálculos biliares são pequenas formações que, na maioria dos casos, não apresentam sintomas nem precisam de intervenções médicas. Comuns em mulheres com mais de 40 anos, elas podem ser evitadas com  hábitos alimentares adequados .

Leia também: Nos EUA, uso excessivo de analgésicos matou mais do que o câncer em 2016

As pedras na vesícula só se tornam um problema quando ficam presas no ducto biliar, situação que pode levar a grandes episódios de dor, febre e icterícia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.