Tamanho do texto

Grupo do órgão das Nações Unidas acompanhará campanha em São Paulo a partir de segunda-feira; OMS diz esperar que uso da dose fracionada da vacina "possa limitar efetivamente a transmissão" da doença no País

OMS disse esperar que uso da dose fracionada da vacina possa limitar transmissão da febre amarela no Brasil
Creative Commons/Flickr
OMS disse esperar que uso da dose fracionada da vacina possa limitar transmissão da febre amarela no Brasil

A Organização Mundial da Saúde (OMS) decidiu vir ao Brasil para acompanhar a manipulação da dose fracionada da vacina contra a febre amarela no País. Um grupo de técnicos do órgão das Nações Unidas deve chegar a São Paulo na segunda-feira (29), de acordo com o Ministério da Saúde.

Leia também: Zoológico e Jardim Botânico fecham após morte de macaco por febre amarela em SP

O fracionamento da vacina implica no uso de apenas um quinto (0,1 ml) de uma dose padrão (0,5 ml) do composto produzido pela Fiocruz contra a febre amarela por pessoa. A estratégia tem como objetivo ampliar o alcance da campanha e o governo garante que a proteção e segurança são os mesmos. Nessa segunda-feira (22), a OMS divulgou nota afirmando ter esperança que o fracionamento "possa limitar efetivamente a transmissão" da doença.

A campanha nacional de imunização terá início em municípios pré-selecionados de São Paulo e do Rio de Janeiro nessa quinta-feira (25) . Haverá campanha em 54 cidades paulistas e em 15 municípios fluminenses. Somente nos dois estados, o Ministério da Saúde espera vacinar um total de 16 milhões de pessoas com a dose fracionada, e outras 4,4 milhões com a dose padrão da vacina.

“A adoção do fracionamento das vacinas é uma medida preventiva e recomendada pela Organização Mundial de Saúde quando há aumento de epizootias [casos da doença em animais] e casos de febre amarela silvestre de forma intensa, com risco de expansão da doença em cidades com elevado índice populacional”, informou a pasta.

Febre amarela no Brasil preocupa OMS

Na semana passada, as Nações Unidas decidiram incluir todo o estado de São Paulo na lista de áreas de risco para a febre amarela. Já constavam nesse mapa 12 estados brasileiros: todos os das regiões Norte e Centro-Oeste (bem como o Distrito Federal), o Maranhão e Minas Gerais. Algumas localidades de São Paulo, da Bahia e dos estados do Sul também já eram consideradas áreas de risco.

Em nota divulgada naquela ocasião, a OMS informou que a decisão de expandir o alerta sobre a situação epidemiológica em São Paulo decorre do "aumento da atividade do vírus da febre amarela observada no estado" no último ano. "Consequentemente, a vacinação passa a ser recomendada para todos os viajantes internacionais que visitarem qualquer área do estado de São Paulo", alertou o secretariado do órgão. 

Leia também: Saiba tudo sobre quem pode ou não tomar vacina contra febre amarela

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.