Tamanho do texto

Mais de 91 mil pessoas receberam a dose fracionada, com validade de oito anos; veja quem pode se vacinar e quem deve receber a dose padrão

Prefeitura de São Paulo pretende ampliar a campanha de vacinação contra febre amarela para outros bairros nos próximos meses
Rovena Rosa/Agência Brasil
Prefeitura de São Paulo pretende ampliar a campanha de vacinação contra febre amarela para outros bairros nos próximos meses

Mais de 94 mil paulistanos receberam a vacina contra febre amarela no  primeiro dia da segunda etapa da Campanha de Vacinação contra a doença na cidade de São Paulo. A Secretaria Municipal de Saúde da cidade informou que as doses fracionadas foram aplicadas em 91.425 pessoas, enquanto outras 3.366 receberam a dose padrão, aplicada apenas em caso de viajantes internacionais, crianças entre nove meses e dois anos e pessoas com condições clínicas especiais.

De acordo com a secretaria, no momento a campanha contra febre amarela tem como foco os moradores de 20 distritos definidos como prioritários: Jabaquara, Cidade Ademar, Sacomã, Cursino, Cidade Líder, Cidade Tiradentes, Guaianases, Iguatemi, José Bonifácio, Parque do Carmo, São Mateus e São Rafael, Capão Redondo, Cidade Dutra, Grajaú, Jardim São Luís, Pedreira, Socorro, Campo Limpo e Vila Andrade. A meta da prefeitura é vacinar 3,6 milhões de pessoas nessa região até o dia 24 de fevereiro, quando termina a segunda etapa de vacinação.

A estratégia dessa fase é fazer a entrega gradual da senha para os moradores dessas regiões ao longo da campanha. As senhas serão entregues nas residências das pessoas que são atendidas regularmente pelas equipes de Estratégia de Saúde da Família (ESF) da prefeitura.

No entanto, alguns postos não contam com essas equipes, como é o caso de algumas unidades que entraram de última hora na campanha e precisaram definir estratégias para acelerar a imunização da população local, incluindo o reforço do quadro de funcionários.

A Secretaria de Saúde orienta os moradores dessas regiões que não recebem visitas regulares das equipes da Saúde da Família, que procurem a Unidade Básica de Saúde mais próxima da residência para a retirada da senha. Segundo o órgão, outros distritos da capital passarão a aplicar a dose da vacina nos próximos meses, levando em consideração a localização dos distritos e sua proximidade com áreas de risco de contato com o vírus da febre amarela.

Ampliação da campanha

O cronograma da secretaria prevê a inclusão de novos distritos na campanha preventiva nos próximos meses.

A expectativa é que, em março, estão previstos os distritos de: Ermelino Matarazzo, Itaim Paulista, Itaquera, Jardim Helena, Lajeado, Ponte Rasa, São Miguel, Vila Curuçá, Vila Jacuí, Arthur Alvim, Cangaíba, Carrão, Penha, Tatuapé, Vila Matilde.

Depois, será a vez da campanha cautelar ter início em outros distritos da região da Bela Vista, Bom Retiro, Cambuci, Consolação, Liberdade, República, Santa Cecília, Sé; Oeste (Alto de Pinheiros, Barra Funda, Butantã, Itaim Bibi, Jaguará, Jaguaré, Jardim Paulista, Lapa, Morumbi, Perdizes, Pinheiros, Rio Pequeno, Vila Leopoldina, Vila Sônia); e Sul (Campo Belo, Campo Grande, Cidade Ademar, Santo Amaro)

Por fim, a campanha vai atingir os distritos de Água Rasa, Aricanduva, Belém, Brás, Cursino, Ipiranga, Jabaquara, Moema, Mooca, Pari, Sacomã, São Lucas, Sapopemba, Saúde, Vila Formosa, Vila Mariana, Vila Prudente.

Leia também: Vai viajar no carnaval? Áreas de risco exigem vacina contra febre amarela

Dose fracionada

O Ministério da Saúde afirmou que a dose fracionada tem mostrado a mesma proteção que a dose padrão. Segundo a pasta, a única diferença está no volume: a dose padrão tem 0,5 Ml, enquanto a dose fracionada tem 0,1 Ml. É isso que faz com que o tempo de duração da proteção seja diferente. A integral protege pela vida toda, enquanto a fracionada por, pelo menos, oito anos.

Em geral, se utiliza a dose padrão da vacina de febre amarela. Porém, em alguns estados estão sendo adotadas as doses fracionadas, que representam 1/5 da dose padrão. Ou seja, um frasco com 5 doses da vacina de febre amarela, por exemplo, pode vacinar 25 pessoas e um frasco com 10 doses pode vacinar 50 pessoas.

No início de janeiro deste ano o Ministério da Saúde anunciou que entre fevereiro e março 75 municípios de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia adotariam a campanha de vacinação com doses fracionadas. A decisão, segundo o ministro da Saúde, Ricardo Barros, foi tomada mediante recomendação e autorização da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Quem não pode receber a dose

Mesmo com o início do fracionamento da vacina, devem tomar a dose integral crianças de 9 meses a 2 anos, pessoas com condições clínicas especiais, gestantes e viajantes internacionais que precisem do comprovante. A dose plena só precisa ser tomada uma vez na vida, conforme recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A imunização contra a febre amarela não é recomendada para pessoas com doenças que comprometem o sistema imunológico, como aids, em tratamento quimioterápico, com doença hematológica ou que foi submetida a transplante de células-tronco, além de gestantes e idosos.

Leia também: OMS envia técnicos ao Brasil para acompanhar vacinação contra febre amarela

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.