Tamanho do texto

Segundo autoridade de segurança alimentícia europeia, bebidas com teor energético não apresentam perigo, mas devem ser ingeridas com cautela

Nick Micthell, de 56 anos de idade, diz ser a favor da proibição de energético 'por ser perigoso como uma droga'
Reprodução/Facebook
Nick Micthell, de 56 anos de idade, diz ser a favor da proibição de energético 'por ser perigoso como uma droga'

Um homem ficou entre a vida e a morte após tomar 25 latas de bebida energética em um curto período de seis horas. Nick Mitchell, de 56 anos de idade sofreu uma hemorragia cerebral e teve três paradas cardíacas após tomar energético para que pudesse aguentar uma noite inteira dirigindo até sua casa.

Leia também: 'Me sentia um zumbi', conta homem atacado por "bactéria devoradora de carne"

Mitchell, que é pai de três jovens e vive com a família em West Yorkshire, na Inglaterra, diz que o energético deve ser proibido por ser nocivo e perigoso. “Essas bebidas quase me mataram. Eu estava tão perto da morte, pensei que nem mesmo uma cirurgia me salvaria daquilo. Creio que esse tipo de bebida não deva mais ser vendida, pois fazem mal como drogas. Elas devem ser banidas”.

O caso ocorreu em junho de 2010, mas só veio a público nesta semana. Mitchell decidiu contar sua história somente este mês à mídia britânica, como uma maneira de alertar os jovens sobre bebidas com alto teor energético.

Sintomas e recuperação

Depois de voltar de uma noite com os amigos em um clube de karaokê, Nick começou a sentir fortes dores na cabeça, indo diretamente ao Hospital Dewsbury. Chegando lá, o rapaz passou por exames que confirmaram uma hemorragia no cérebro, causada pela quantidade excessiva de cafeína que havia ingerido.

Leia também: Autor de tiroteio que deixou seis feridos na Itália tinha livro de Adolf Hitler

"Senti como se alguém tivesse batido na minha cabeça com uma marreta, eu conseguia sentir meus batimentos cardíacos ecoando em meus ouvidos. Tive enxaquecas no passado, mas nada comparado aos efeitos que sofri nesse episódio, era uma dor fora do normal”, relembrou.  

Na semana seguinte, Nick sofreu três ataques cardíacos que o afetaram até hoje, já que ficou com problemas para se comunicar, não conseguindo pronunciar algumas palavras. "Eu não fazia ideia de que energéticos eram tão perigosos, me sinto grato em estar vivo e poder contar o que aconteceu comigo. Depois daquele dia, nunca mais tomei esse tipo de coisa novamente”, afirmou ao jornal Metro .

Leia também: Em aposta com esposa, pai recebe mais de 1 milhão de likes e chama filho de Goku

De acordo com a Autoridade Europeia para Segurança dos Alimentos, uma lata da bebida tem 250 ml e 80 mg de cafeína, o equivalente a uma xícara de café caseiro. Com isso, um indivíduo pode ingerir até 400 mg de cafeína por dia,  ou seja, cinco latas da mesma. “O energético não apresenta perigos a uma população adulta saudável, basta tomar cuidado com a quantidade ingerida”, concluem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.