Tamanho do texto

Último caso aconteceu em Trajano de Moraes e afetou uma mulher que morava na zona rural, e tinha 60 anos; cidade vacinou 400 pessoas este ano

Vacina contra febre amarela já foi aplicada em mais de 8 mil moradores de Trajano de Moraes, no Rio de Janeiro
Rovena Rosa/Agência Brasil
Vacina contra febre amarela já foi aplicada em mais de 8 mil moradores de Trajano de Moraes, no Rio de Janeiro

O estado do Rio de Janeiro registrou o 100º caso de febre amarela e a 45ª morte causada pela doença nesta quarta-feira (28). O último caso confirmado veio do município de Trajano de Moraes, na região serrana.

Leia também: Campanha de vacinação contra febre amarela poderá ser ampliada para todo o país

A vítima é uma mulher com cerca de 60 anos, moradora na zona rural, no distrito de Barra dos Passos. Ela morreu no fim de semana, mas a confirmação de febre amarela só ocorreu hoje. Antes dela, havia morrido um homem, de 32 anos, também morador da área rural de Trajano de Moraes, na localidade de Serra das Almas.

A prefeitura do município informou, por meio de sua assessoria, que em 2017 foram aplicadas 8.505 vacinas e que este ano já foram aplicadas 400 doses. Trajano de Moraes tem 12.320 moradores, mas é muito procurado por turistas, principalmente aos finais de semana, por suas matas e cachoeiras. A prefeitura pediu um reforço de 2 mil doses e fará a imunização, inclusive no sábado, Dia D de combate à febre amarela.

Leia também: Chileno morre no Rio de Janeiro com suspeita de febre amarela, afirma secretaria

Lista de municípios afetados

De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde, a lista com os municípios onde foram registrados casos da doença é a seguinte:

  • Angra dos Reis, 19 casos, sendo dez mortes;
  • Valença, 18 casos e seis mortes;
  • Teresópolis, 13 casos e seis mortes;
  • Nova Friburgo, oito casos e três mortes;
  • Duas Barras, oito casos e uma morte;
  • Sumidouro, sete casos e duas mortes;
  • Cantagalo, cinco casos e três mortes;
  • Rio das Flores, três casos e duas mortes;
  • Engenheiro Paulo de Frontin, dois casos, sendo duas mortes;
  • Carmo, dois casos e uma morte;
  • Mangaratiba, dois casos e uma morte;
  • Maricá, dois casos e uma morte;
  • Vassouras, dois casos e uma morte;
  • Paty do Alferes, dois casos e nenhuma morte;
  • Cachoeiras de Macacu, uma morte;
  • Miguel Pereira, uma morte;
  • Paraíba do Sul, uma morte;
  • Piraí, uma morte;
  • Petrópolis, um caso e nenhuma morte.

Na lista, atualizada até terça-feira (27), Trajano de Moraes aparecia com uma morte, mas, com mais este caso fatal confirmado pela prefeitura, o município totaliza dois óbitos.

A Secretaria de Estado de Saúde ressalta que os macacos não são responsáveis pela transmissão da febre amarela, que é transmitida pela picada de mosquitos.

Leia também: Febre amarela: menos de um quinto do público esperado em SP e RJ buscou a vacina

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.